10+ dicas preciosas para estudar para o ENEM

Enem — Escrito por

Estudar para o Enem não é um nenhum bicho de sete cabeças. Se você parar para pensar, vai perceber que o Exame trata apenas do conteúdo abordado ao longo dos três anos do ensino médio – é bastante coisa, sim, mas você já viu todas essas matérias em algum momento da vida.

O que deixa muita gente apreensiva é mesmo a necessidade de tirar uma nota alta nas provas para ter chances de conseguir vaga em uma universidade pública, ganhar bolsas de estudos em faculdade particular ou, quem sabe, financiar o curso a juros baixos.

É preciso afundar a cara nos livros e se dedicar pra valer.

Para que você não se perca em meio de tanto conteúdo, elaboramos as 13 dicas a seguir. Elas ajudam a melhorar a produtividade de quem vai ter que encarar as tão temidas provas!

 

1. Arrume um cantinho sossegado para estudar

Por mais que o mundo tenha mudado e hoje em dia a gente tenha acesso a um universo gigantesco de informações com apenas um clique, estudar ainda requer concentração à moda antiga. Por isso é fundamental arrumar um espaço – de preferência silencioso – sem as mil interferências que temos a todo minuto (redes sociais, principalmente).

Pode ser no seu quarto, em um canto da sala, na biblioteca da sua escola, qualquer lugar que seja calmo e permita que você se dedique totalmente aos estudos. Deixe o celular no silencioso, sempre!

 

2. Organize uma agenda de estudos

Agora é hora de organizar uma rotina de estudos para dar conta de todas as matérias cobradas no Enem.

Quando há organização, o cérebro funciona melhor. Você pode criar sua própria rotina de estudos. Uma das formas de fazer isso é a seguinte:

  • Determine a quantidade de horas que você vai estudar por dia.
  • Pegue todas as matérias que o Enem pede e distribua os temas em um calendário, contando de trás para frente: do dia da prova até hoje.
  • Estabeleça prioridades: os assuntos em que você tem mais dificuldade vêm primeiro.
  • Tente ser fiel à sua agenda – lembre-se que com um pouco de esforço você não vai precisar repetir essa maratona no ano que vem!

 

3. Comece a estudar o quanto antes

Se você já tem um local de estudos e a agenda preparada, é hora de começar a estudar! Às vezes parece que falta muito tempo para o Enem – as provas normalmente acontecem em novembro – mas quando a gente se dá conta já chegou o dia.

Portanto, mãos à obra. Não há mais um minuto a perder. Será preciso estudar as matérias das provas objetivas, ficar por dentro de todas as atualidades e treinar o modelo de redação.

As questões objetivas do Enem cobrem quatro áreas do conhecimento:

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

  • Língua Portuguesa
  • Literatura
  • Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol)
  • Artes
  • Educação Física
  • Tecnologias da Informação e Comunicação

 

Ciências Humanas e suas Tecnologias

  • História
  • Geografia
  • Filosofia
  • Sociologia

 

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

  • Química
  • Física
  • Biologia

 

Matemática e suas Tecnologias

  • Matemática

 

 

4. Use a internet a seu favor

Durante os estudos, a internet pode ser sua melhor aliada ou sua pior inimiga. É que existe muito conteúdo legal sobre Enem para pesquisar, mas também muito material duvidoso. Veja quais são os sites ou perfis de confiança e use a ferramenta para aprender mais.

No YouTube tem muito conteúdo interessante desenvolvido por professores. Eles podem ajudar bastante a entender algumas matérias.

 

5. Alterne as disciplinas durante os estudos

Às vezes, em meio a tanto conteúdo, ansiedade e nervosismo, é bom dar um descanso ao cérebro. Está esgotado de tanto estudar Matemática? Que tal dar uma pausa nos números e passar por temas da atualidade ou um pouco de História? Essa alternância é saudável, desde que você não fuja muito do roteiro definido em sua agenda.

 

6. Para exercitar, faça as provas anteriores

Ainda não inventaram uma fórmula melhor de treinar para o Enem do que resolver as provas anteriores. Elas ajudam a se familiarizar com o formato e o grau de dificuldade das questões. De quebra, ainda permitem identificar quais são as disciplinas em que você tem mais dificuldade.

Todas as provas e gabaritos das edições anteriores estão disponíveis para download gratuito no site do Inep. A gente recomenda treinar as edições mais recentes, a partir de 2010, quando o novo modelo foi adotado.

 

7. Não basta saber o que acertou ou o que errou

Depois de treinar com as provas de edições anteriores do Enem, não basta conferir o gabarito e listar o que acertou ou errou.

O ideal mesmo é entender as competências exigidas em cada questão – especialmente daquelas em que você tem mais dúvida. Para isso, recomendamos buscar vídeos do YouTube que fazem a correção comentada daquela edição do Exame. Isso ajuda, e muito, a aprender melhor.

 

8. Anote aí: a redação é vital!

A redação do Enem vale de 0 a 1.000 pontos. Um bom desempenho aqui é essencial para obter uma média final alta e garantir sua vaga nos processos seletivos do próximo ano.

Tirar zero é um pesadelo. Quem zera na redação do Enem não pode participar do Sisu, do ProUni e do FIES – programas que oferecem vagas em universidades públicas, bolsas de estudos e financiamentos a juros baixos, respectivamente.

Além disso, a redação é o principal critério de desempate caso dois candidatos cheguem com a mesma nota nesses processos seletivos.

 

9. Pratique bastante a produção de textos

Por ser uma prova vital, é preciso que você exercite bastante o formato pedido (o dissertativo-argumentativo) da redação do Enem.

Não existe isso de que só tira nota boa na redação quem tem talento para escrever. Redação é prática!

O exercício vai ajudar a encadear melhor as ideias, colocá-las em ordem lógica, comunicar bem o seu ponto de vista e convencer o leitor – mesmo que você não domine o tema 100%. Essa prática também vai ajudar a identificar onde estão seus pontos fracos e a corrigi-los a tempo para as provas.

Além da prática, é preciso estudar atualidades, dominar a norma culta da língua portuguesa, buscar referências (dá para encontrar exemplos de redações nota 1.000 na internet) e levar o seu material para ser corrigido por professores ou especialistas.

 

10. Controle o tempo

O Enem é uma maratona. No primeiro dia, o candidato terá cinco horas e meia para resolver 45 questões de Linguagens, 45 de Ciências Humanas e ainda fazer uma redação exemplar.

No segundo, são quatro horas e meia para 45 questões de Matemática e 45 de Ciências da Natureza.

Isso dá uma média de menos de 3 minutos por questão, considerando que você ainda tem que preencher o cartão-resposta e passar a redação a limpo.

Ou seja: gerenciar o tempo é uma das chaves para o sucesso no Enem. Durante seus estudos, não tire isso da cabeça. Ao fazer as provas anteriores, use um relógio para cronometrar seu desempenho.

 

11. Estude o edital

A gente sabe que o edital é longo e cheio de detalhes, mas estudá-lo é uma das tarefas mais importantes para quem quer se dar bem no Enem. Lá tem um roteiro completo das matérias que podem cair, as competências que serão analisadas em cada uma das provas, as datas de realização de cada etapa, o que pode e o que não pode fazer, etc.

 

12. Saiba que você não é uma máquina

Não adianta passar o ano todo estudando e na véspera do Exame ainda querer revisar tudo de uma só vez. Muita gente cai nessa armadilha, passa a noite em claro e vai fazer a prova como se fosse um zumbi. O resultado: tem um mau desempenho, pois a falta de sono prejudica a capacidade de raciocínio.

Fuja dessa cilada! O ser humano não é máquina. Durante o ano, reserve um tempinho para se exercitar e curtir alguns momentos de lazer. Na véspera da prova, faça uma leitura leve do que precisa ser revisado, durma cedo e alimente-se bem. É preciso estar com o cérebro cheio de disposição para enfrentar a maratona de provas.

 

13. Saiba onde quer estudar

A universidade e o curso da sua escolha definem o seu ritmo de estudos. Se quiser entrar em uma universidade pública, ganhar bolsas de estudos ou financiar a faculdade com a ajuda do governo, precisará se dedicar bastante. Aqui a concorrência é alta e as notas de corte para conseguir o benefício podem ser bem altas.

Entre as universidades públicas, mais de 130 instituições aceitam a nota do Enem como forma de ingresso.

Entre as particulares, o universo é muito maior. Centenas e centenas de instituições participam do ProUni (que concede bolsas de estudos), do FIES (financiamento estudantil) ou aceitam o ingresso direto – modalidade em que o candidato só precisa informar a nota do Enem e, caso tenha pontuação para passar, pode fazer a matrícula, sem ter que enfrentar o vestibular.

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC que aceitam o Enem como forma de ingresso direto, além de participarem do ProUni e do FIES:

 

Veja também:

Descubra de forma rápida e fácil sua pontuação no ENEM

 

Anotou essas dicas? Tem mais alguma para compartilhar? Conte para a gente aqui nos comentários!

Comente