Como fazer uma Redação Dissertativa

Redação — Escrito por

No Enem o modelo de redação pedido é a Dissertação ou Redação Dissertativa. Ainda existem outros tipos de redação como a Carta Argumentativa (uma vertente em tom pessoal da Dissertação), a Narração, em que o autor narra a história, e a Entrevista. Contudo, na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é sempre pedido ao estudante um texto dissertativo-argumentativo.

Mas, como fazer uma redação dissertativa que agrade o examinador e garanta uma boa nota?

Como Fazer uma Redação Dissertativa

Antes de iniciarmos uma breve análise do texto Dissertativo-argumentativo, cabe ressaltar que toda e qualquer modalidade escrita necessita de leitura crítica prévia!

A definição global dessa modalidade textual envolve a exposição de uma opinião sobre o tema selecionado, na tentativa de se persuadir (convencer) o leitor (leitor universal), por meio de provas (argumentos) de sua validade.

A Redação Dissertativa deve:

  • ser escrita em Prosa;
  • observar a Norma Culta da Língua Portuguesa;
  • respeitar o número de linhas sugerido;
  • ter título.

Ela compreende três períodos distintos:

  • Introdução ou Tese;
  • Desenvolvimento ou Argumentação;
  • Conclusão.

E a escrita de um texto nesses moldes requer algumas recomendações:

  • Ser impessoal, ou seja, aquele que disserta não deve se identificar, apelando sempre para elementos que tornem o texto impessoal, como o uso de pronomes, da partícula “se” e da voz passiva; nesse contexto, cabe o conceito do leitor universal, ou seja, deve-se escrever para um interlocutor indefinido, capaz de compreender qualquer argumento.
  • Evitar “achismos” e opiniões explícitas;
  • Utilizar argumentos favoráveis e desfavoráveis (argumento de ressalva – deve sempre ser refutado);
  • Argumentos devem ser consistentes (evitar “clichês”) e verdadeiros (verdade científica ou baseada na realidade);
  • Paragrafação adequada (deve-se contabilizar 1parágrafo para a Introdução, de 2 a 4 parágrafos para o Desenvolvimento e 1 parágrafo para a Conclusão).
  • Evitar repetições, seja de palavras (uso de sinônimos) ou ideias.
  • Selecionar palavras: evitar gírias, palavrões, termos técnicos, abreviações, gerundismo.

A Estrutura

Introdução

A Introdução, como parágrafo inicial do texto Dissertativo Argumentativo, tende a ser dividida em três momentos: a Apresentação (uma breve menção ao tema, de conteúdo expositivo, que pode ser feita a partir de uma citação ou um intertexto – será explicado adiante); a Tese propriamente dita (exposição da opinião acerca do assunto); o Gancho (conexão lógica com os argumentos; pode ser feito sob a forma de uma pergunta, desde que garanta a resposta durante o Desenvolvimento).

Desenvolvimento

O Desenvolvimento representa a porção textual de apresentação dos argumentos para defender sua tese, ou seja, é a parte crucial do texto para persuadir o leitor sobre sua opinião (cabe lembrar que não é necessário que, ao fim do texto, ele concorde plenamente com a sua opinião, mas sim que ele aceite seus argumentos e considere sua opinião plausível). Para tanto, a disposição dos argumentos deve seguir alguns critérios:

  • Coerência: A sequência dos argumentos deve fazer sentido entre si e com a realidade.
  • Coesão: A sequência dos argumentos deve manter a unidade do texto.
  • Intertextos: O texto deve dialogar com ideias distintas, como históricas, literárias, filosóficas etc. A referência a elementos distintos da realidade é essencial a um bom texto dissertativo, especialmente aos elementos da coletânea (conjunto de textos e imagens fornecidos no corpo da Prova).
  • Progressão Argumentativa: A sequência dos argumentos deve, de fato, representar uma sequência lógica de ideias, tornando o texto claro e conciso.

Conclusão

A Conclusão deve atuar com uma abordagem de ideias referente à retomada (utilização das palavras-chave) do conteúdo principal do texto, ou seja, um fechamento conferido à argumentação. Dessa forma, considera-se esse momento como cíclico, por conter referências à Introdução e Argumentação. Para tal, deve-se utilizar o tom descendente (não se pode deixar nenhuma conclusão a critério do leitor) e o tom sugestivo (como cidadãos atuantes, devemos elaborar soluções para a resolução do tema sugerido).

Duas dicas para a conclusão: Evitar “frases de autoajuda” e conjunções conclusivas em seu início.

Critérios de Avaliação

Uma vez entendida a estrutura de uma Dissertação Argumentativa, vale a pena comentar alguns critérios de anulação textual (devem ser evitados) e os critérios de correção desses textos (devem ser priorizados).

Critérios de Anulação:

  • Texto não dissertativo;
  • Fuga do tema proposto;
  • Postura preconceituosa (fere os “Direitos Humanos”);
  • Informalidade de linguagem.

Critérios de Correção:

  • Adequação à proposta;
  • Coerência;
  • Coesão;
  • Aspectos linguísticos (uso da Norma Culta);
  • Aspectos dissertativos (respeito aos 3 momentos).

Dito isso, mãos à obra, à confecção de grandes textos Dissertativos Argumentativos.

Por: Gabriel E. Becher – Professor de Redação e Interpretação de Texto do Curso MedEnsina.

Tags: , , , ,

Comente