Como passar no Enem 2016

Enem — Escrito por

O Exame Nacional do Ensino Médio é hoje uma das maiores portas de entrada para um curso superior no Brasil.

Conseguir vaga em um dos processos seletivos do Governo Federal que usam a nota do Enem (Sisu, ProUni, FIES) tem se tornado cada vez mais difícil. Os candidatos estão chegando às provas cada vez mais bem preparados!

Para ajudá-lo a estar entre os melhores, fomos conversar com um dos maiores especialistas em Enem do Brasil, o educador Mateus Prado. Ele apresentou dicas muito úteis – e algumas surpreendentes – para  quem tem planos de começar o próximo ano matriculado em uma universidade!

Preparado? Então veja a seguir como passar no Enem em apenas três passos! Ah, também separamos algumas dicas preciosas do especialista para você anotar, guardar e seguir até o dia do Exame!

 

Passo 1: Use as provas das edições anteriores do Enem

Essa dica já é uma velha conhecida de quem vai fazer o Enem.

Mateus Prado recomenda resolver as questões de olho no “jeitão” das provas. “Faça as questões como se estivesse em uma prova esportiva, tipo o Motocross, em que você precisa saber anteriormente os detalhes do percurso para se sair bem. No Enem também é assim. Sabendo os detalhes do percurso, você se sairá melhor do que quem nunca teve contato com a prova.”

O ideal é treinar com os exames a partir de 2010, pois as provas mais antigas ainda não seguiam o modelo que temos agora.

Resolva as questões sem a ajuda de livros, computadores, sem amigos ou professores por perto. Também é legal cronometrar o tempo que você leva para terminar cada prova, para ajudar a entrar no ritmo.

Depois de resolvidas as provas, confira o gabarito e separe, numa tabela, as questões que você acertou e as que errou. Esse procedimento será importantíssimo para o passo a seguir!

 

Passo 2: Defina uma estratégia de estudos para o Enem

Com base nos erros e acertos obtidos nas provas anteriores do Enem (Passo 1) será possível identificar os conteúdos que você tem mais facilidade e os que tem mais dificuldade. A partir disso, é possível montar sua estratégia de estudos.

Esse passo é o mais difícil de fazer, mas também um dos mais importantes. “Com uma estratégia bem feita, o aluno vai conseguir uma nota maior no Enem. Estudar conteúdo demais não é a melhor opção do ponto de vista de custo/benefício”, explica Mateus Prado.

Para definir sua estratégia de estudos, tenha em mãos a tabela com erros e acertos em cada uma das provas das edições anteriores. Você terá que relacionar as questões às competências exigidas pelo Enem.

As competências estão no edital do Enem. Cada área do conhecimento (Matemática, Linguagens, Ciências Humanas e Ciências da Natureza) tem as suas. São textos que normalmente a gente lê rapidinho, sem prestar muita atenção. Só que elas trazem pistas importantes do que pode cair em cada uma das quatro provas da próxima edição.

Sua tarefa será descobrir qual competência (ou competências) está por trás de cada questão das provas.

Fazer essa associação vai dar trabalho, mas será útil para você entender a estrutura da prova e direcionar seu foco de estudos para o próximo Enem. Como o Mateus falou, é importante conhecer o caminho antes da corrida!

Para isso, basta cruzar a tabela de erros e acertos com a de competências. A prova de Matemática, por exemplo, tem sete competências. Coloque no papel quantas você acertou e quantas errou de ‘Gráficos e Tabelas’ ou de ‘Geometria’, por exemplo, e siga nesse mesmo esquema nas outras provas.

Mateus Prado recomenda, inclusive, não dar tanta atenção à matriz de conteúdos do Enem (aquela lista imensa de matérias de todo o Ensino Médio). “Alguns que estão ali nem devem cair na prova. Os que não estão diretamente relacionados com as competências e habilidades cobradas pelo Enem têm probabilidade muito pequena de aparecer”.

 

Passo 3: Torne seu estudo mais eficiente

Neste quesito, Mateus Prado é categórico: “Estudar o que o Enem não cobra é um desperdício de tempo”. Ou seja, o candidato tem que focar no que é preciso aprender para obter o melhor desempenho possível e conseguir vaga no curso desejado.

Se você prestar atenção, vai ver que existem conteúdos que se repetem muito em todas as provas do Enem. Em comparação com tudo o que é pedido no edital, vai perceber que outra parte quase não cai nos exames, ou cai muito pouco.

O seu foco, portanto, deve ser nos conteúdos frequentes do Enem que você tem mais dificuldade. Não adianta empregar tempo e energia em estudar assuntos que raramente aparecem na prova!

Para definir uma estratégia vencedora de estudos, você deve utilizar a tabela criada no Passo 2 e identificar:

I.         As competências em que você acertou mais ou menos metade das questões (50%).
II.         As competências em que você acertou a maioria das questões.
III.         As competências em que você acertou menos de 30% das questões ou não acertou nenhuma.

As competências do item I são as que vão exigir mais foco da sua parte. Essas são as que você não domina completamente, mas tem mais facilidade de aprender. Parece um contrassenso estudar o que você teoricamente já gosta ou conhece razoavelmente, mas ao investir tempo reforçando e desenvolvendo o que tem mais facilidade, a probabilidade de acertar mais questões será muito maior.

As competências do item II vão exigir menos atenção, já que são temas que você naturalmente domina. Ou seja, cada hora dedicada ao estudo delas trará um acréscimo menor ao número de questões que você acertará no Enem. Por exemplo: se você acertou quase todas as questões de Geometria, não vale a pena investir muito tempo repetindo esse conteúdo.

Já as do item III são aquelas que você tem mais dificuldade de aprender. Se o  curso em que você quer entrar não pede uma nota de corte muito alta, não vai ter problema em deixar esses temas um pouco de lado, afinal não será necessário gabaritar a prova para passar. Neste caso, você só precisa se dedicar com afinco a essas competências se tiver acertado mais de 80% nas outras.

Claro, existem cursos mais difíceis de passar, como Medicina,  Direito e Engenharia em instituições tradicionais. Quem disputa uma vaga nesses cursos vai ter que provar que conhece quase todo o conteúdo cobrado pelo exame para garantir sua vaga. Aí sim, será necessário estudar pra valer absolutamente todas as competências!

 

Outras dicas importantes para quem quer passar no Enem

  • É importante que você entenda como é calculada a nota do Enem.
  • Também é preciso saber qual a nota mínima para passar no Enem.
  • Praticar exercícios físicos e ter uma boa dieta é fundamental para o bom desempenho na prova. Afinal, o Enem é uma maratona com pouco tempo para resolver 180 questões e ainda escrever uma redação. Isso consome muita energia dos participantes. Estar em forma ajuda a evitar o cansaço e o erro por estresse no dia dos exames.
  • Estude em um local que seja agradável para você. Cada um tem seu jeito de aprender. Uns funcionam melhor no silêncio, outros ouvindo música, uns deitados e outros sentados. Descubra o seu!
  • Não abra mão de algumas horinhas de lazer e descanso. Claro, não pode exagerar, especialmente quando o Enem estiver mais próximo. “Passar no Enem exige algum sacrifício, não dá para ficar a noite toda na balada”, afirma Mateus Prado.
  • Dedique um tempo razoavelmente grande e diário para os estudos. Mantenha o foco em sua estratégia de aprendizagem.
  • Tenha em mente que dificilmente você conseguirá aprender tudo. Às vezes, para entrar em cursos mais difíceis, como Medicina, é preciso se investir dois ou três anos de estudo.

 

Veja também:

Entenda o Enem, com Mateus Prado

Facebook

Twitter

YouTube

E aí, vai seguir a estratégia proposta? Conte sua experiência ou apresente sugestões para a gente nos comentários!

Comente