O que você precisa saber para se preparar para o ENEM 2017

Enem — Escrito por

Já está contando os dias para o Enem 2017? Falta bem pouco para que milhões de estudantes do país todo finalmente possam fazer a prova mais importante do ano!

 

Com o relógio correndo depressa, o tempo para rever todos os conteúdos que podem cair nas provas é cada dia menor – e quem já está no olho do furacão sabe bem disso.

 

Aqui a gente vai ser bem sincero com você: esse ano, o Enem não está para brincadeira! As provas vão continuar complicadas, extensas e cansativas. As notas para conseguir vaga nos principais processos seletivos vão estar nas alturas, como sempre, e a concorrência não vai dar sossego para ninguém.

 

Para encarar esse desafio é preciso muita dedicação e sangue frio. Veja a seguir o que você precisa saber para se preparar para o Enem 2017 e conseguir aquela nota que vai garantir ingresso no curso tão desejado!

 

 

1. Já está por dentro de todas as principais datas do Enem?

O ponto mais básico do Enem é estar ciente de todas as principais datas do Exame. Só assim você pode se preparar adequadamente e não deixar passar nenhum detalhe.

 

As inscrições para a edição de 2017 já se encerraram, mas ainda tem muito chão pela frente.

 

Anote aí:

  • Outubro – provavelmente a partir da segunda quinzena do mês o MEC irá permitir o acesso aos cartões de confirmação de inscrição. Esse documento traz seus dados pessoais, número de inscrição, opção de prova de língua estrangeira e, principalmente, o local onde você vai fazer a prova, com o endereço completo, inclusive o número da sala.

 

  • 5 de novembro – primeiro dia do Enem. Cai em um domingo. Serão aplicadas três provas: Ciências Humanas e suas Tecnologias, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação. Você terá cinco horas e meia para fazer tudo.

 

  • Entre 6 e 8 de novembro – o MEC irá divulgar o gabarito oficial do primeiro dia do Enem.

 

  • 12 de novembro – uma semana depois, também em um domingo, são aplicadas as provas restantes do Enem – Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

 

  • Entre 13 e 15 de novembro – divulgação do gabarito oficial das provas do segundo dia.

 

  • Segunda quinzena de janeiro – esse é o momento mais esperado do ano: a divulgação dos resultados do Enem. Ocorre normalmente na segunda quinzena de janeiro, mas pode variar de ano para ano.

 

 

2. É o momento de saber o que priorizar nos estudos

Com a data do Enem cada dia mais próxima, é preciso dar um gás nos estudos. Como a lista de conteúdos que podem cair nas provas é imensa, o ideal agora é você dar foco naquelas matérias em que tem um grau de dificuldade mediano. As mais difíceis podem tomar muito tempo para serem assimiladas e as mais fáceis você pode tocar mais adiante.

 

Isso, claro, depende do curso que você quer fazer. Se Medicina ou Engenharia estiver na jogada, por exemplo, é preciso aprender o máximo que puder até lá – mas nesse caso a gente espera, sinceramente, que você já venha se dedicando aos estudos há mais tempo!

 

 

3. É preciso criar uma lista do que estudar primeiro

Agora que você já sabe que tipo de conteúdo deve priorizar, faça uma lista com todos aqueles em que você ainda tem dificuldade e que merecem atenção especial. Distribua as matérias dentro de um calendário até um mês antes das provas do Enem.

 

O ideal é que a partir do dia 5 de setembro você se dedique exclusivamente à revisão de conteúdos. É hora também de dar uma turbinada no ritmo geral – essa será sua última chance de dar uma última olhada nas matérias antes das provas. Portanto, reserve mais horas por dia para estudar.

 

 

4. Cruze a lista de prioridades com a lista de conteúdos que mais caem no Enem

Se pintar alguma dúvida sobre que tipo de conteúdo estudar no pouco tempo que falta para as provas, não pense duas vezes: dê prioridade àqueles que aparecem com mais frequência nas provas.

 

Eles precisam ser tratados com bastante carinho. Embora não existam garantias de que vão cair nas provas deste ano, as chances ainda são boas. Então, por que desperdiçar essa oportunidade?

 

Conheça agora mesmo os 50+ assuntos que sempre caem no ENEM

 

 

5. Só vale estudar o que está no edital

Não precisa arrancar os cabelos querendo estudar tudo. Seja no Enem ou em qualquer outro processo seletivo, só podem cair questões que estejam no edital do exame.

 

Não precisa perder seu tempo com outros assuntos.

 

Essa dica não vale para a redação, que exige conhecimento de temas gerais e tem outra sistemática de estudos (veja no item 7).

 

 

6. Fazer simulados é a melhor forma de treinar

Coloque os estudos em prática por meio de simulados. Uma da formas mais eficazes é fazer as edições anteriores do Enem. Elas vão ajudar você a entender melhor o formato e o grau de dificuldade das questões.

 

Além de tudo, os simulados ajudam a identificar quais são as matérias mais difíceis para você. Anote essa informação e inclua no seu roteiro de prioridades de estudos enquanto há tempo.

 

Ah, importante: toda vez que for fazer um simulado, marque o tempo necessário para completar todas as questões. O ideal é que você consiga fazer duas provas de 45 questões cada em no máximo quatro horas. A redação deve ser feita em até uma hora. A meia hora restante serve para dar uma última revisada, marcar o cartão-resposta com bastante cuidado e passar a redação a limpo.

 

 

7. Não basta estudar o que está nos livros, é preciso se informar

Uma das características mais fortes do Enem é a relação das provas com temas da atualidade. Até nas questões de Ciências da Natureza elas aparecem, muitas vezes na forma de uma pergunta sobre saúde pública ou urbanização, por exemplo.

 

O fato é que o Enem quer saber se você sabe o que está acontecendo de mais importante no Brasil e no mundo, e nem sempre essas informações estão nos livros.

 

O melhor exemplo disso é a redação. A prova é uma das mais complexas do Exame e vai testar pra valer o seu conhecimento a respeito do tema. Será preciso, inclusive, propor uma solução para a problemática apresentada. Só consegue fazer uma redação nota 1.000 quem realmente sabe do que está falando.

 

Por isso é preciso ler muita notícia, estudar os principais acontecimentos políticos, sociais, econômicos e culturais atuais, entender suas raízes históricas, configurações atuais e os encaminhamentos possíveis para o futuro.

 

 

8. Cuidado para não exagerar!

Uma das ciladas mais comuns para quem está estudando para o Enem é exagerar na dose. Virar noite, estudar sem parar de segunda a segunda, comer na mesa de estudos ou entrar em pânico quando precisa dar uma parada.

 

Por mais que você esteja estudando para um curso difícil de entrar, é preciso saber controlar o ritmo. Caso contrário você pode sobrecarregar o cérebro e ter um branco no dia das provas – já pensou?

 

Pois bem. Pegar pesado nos estudos é importante, especialmente agora que falta pouco para as provas. Mas não exagere. É preciso ter uns momentos de folga, fazer atividades físicas, sair para tomar um sol, estar com os amigos. Claro, tudo no seu tempo certo.

 

Na véspera das provas, nem pensar em virar a noite estudando. Pelo contrário, alimente-se bem e tente dormir cedo. Preparar o corpo para a maratona que é o Enem é uma dica que pode fazer toda diferença!

 

9. Descubra a faculdade certa para você

Uma das grandes vantagens para quem faz o Enem é poder tentar vaga em instituições de ensino de todo o Brasil – públicas e particulares – com a nota do Exame.

 

São muitas as opções e é fácil se perder nesse universo.

 

Por isso é bom, antes de tudo, identificar qual processo seletivo é o ideal para você e, se possível, já escolher a faculdade onde quer estudar.

 

Conheça os principais processos seletivos que usam a nota do Enem como critério de classificação:

  • Sistema de Seleção Unificada (Sisu) – É o maior e mais famoso processo seletivo do Brasil. O Sisu distribui vagas em universidades públicas de todo o país em duas edições anuais. Para tentar uma vaga em 2018 é preciso ter feito o Enem 2017 e ter tirado nota maior que zero na redação. A concorrência é altíssima.
  • Programa Universidade para Todos (ProUni) – Distribui bolsas de estudos para alunos de baixa renda em faculdades particulares. Para participar é preciso se encaixar em critérios de renda e escolaridade, além de ter feito o Enem 2017, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação.
  • Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) – O FIES é para quem precisa financiar um curso superior. O programa tem juros baixos e oferece prazo longo para pagar a dívida – que só começa a ser quitada depois da formatura. Pode participar quem tiver feito qualquer edição do Enem a partir de 2010, desde que se encaixe em critérios de renda e apresente desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação.
  • Ingresso direto – O ingresso direto facilita a vida de quem o Enem e quer estudar em uma faculdade particular. Com ele, basta apresentar a nota do Exame e fazer a matrícula. Desde que, claro, tenha a pontuação mínima exigida para entrar. Muitas faculdades pelo Brasil estão adotando esse sistema.

 

E já que estamos falando de faculdades e processos seletivos, escolhemos algumas opções interessantes e bem avaliadas pelo Ministério da Educação onde você pode entrar com a nota do Enem por meio do ProUni, do FIES e do ingresso direto:

 

Veja também:

Veja que nota você precisa tirar no Enem 2017 para passar

 

Como você está se preparando para o Enem? Conte para a gente aqui nos comentários!

Comente