Modelo Redação do Enem

Redação — Escrito por

A REDAÇÃO DO ENEM

Observe a seguinte proposta de redação do ENEM: Leia a proposta de Redação do Enem 2006

VEJAMOS UM EXEMPLO DE UMA REDAÇÃO NOTA 10 DO ENEM

ENEM 2006

Tema: O poder de transformação da leitura

Título: Quando o sol da cultura está baixo, até os mais ínfimos seres emitem luz

Apresentação:

                 Marcel Proust, grande escritor e exemplo máximo de uma vida dedicada unicamente à leitura e à literatura, disse em seus escritos “cada leitor, quando lê, é um leitor de si mesmo”. O que Proust evidencia nessa frase deixa em aberto uma série de interpretações que podem ser realizadas a partir do hábito entusiástico e não visto como uma obrigação, pela leitura.

Desenvolvimento:

Estar em contato com o universo das palavras e nele encontrar uma atividade prazerosa, ao mesmo tempo que nos leva a absorver todo o conhecimento exterior, também nos conduz a uma busca de tudo que representa algo de nós mesmos nesse conhecimento que chega até nós. Em cada nova leitura, ocorre algo semelhante a uma lapidação de nossos desejos e predileções.

             Os livros constituem um tipo de transporte de conhecimento diferente da televisão, por exemplo, onde as informações são transmitidas a todo o momento, e para tal, só precisa de nossa permissão para a passagem de suas imagens através de nosso córtex. O nível de saber que podemos extrair de um livro possui o mesmo limite de nossa vontade de fazê-lo. E, ao contrário das informações “prontas” da televisão, temos a total liberdade de interpretação, o que confere o aperfeiçoamento de nosso senso crítico e o melhoramento de como nos posicionamos diante do mundo.

O hábito da leitura não possui caráter elitista e nem está associado ao poder aquisitivo. Em qualquer cidade, por menor que seja, há uma biblioteca, basta que tenhamos interesse em desvendar todo o mistério contido nela.

Desfecho/Conclusão:

Ao ler, nos tornamos mais cultos, mais seguros de nossas convicções, nos expressamos e escrevemos melhor. Medidas públicas devem ser realizadas para garantir essa acessibilidade e assim, seus respectivos países possam brilhar, iluminados pelo sol da cultura.

            (Autor desconhecido)

 Comentários:

             Observe que o vestibulando organizou bem os parágrafos. Apresentou sua tese nos dois primeiros (“cada leitor, quando lê, é um leitor de si mesmo”, ou seja, a leitura é uma espécie de autoconhecimento, de busca interior), recorrendo, para isso, ao famoso escritor francês, Marcel Proust (autor do clássico Em busca do tempo perdido/ À la recherche du temps perdu).

Nos parágrafos seguintes, o vestibulando defende sua posição, com argumentos bastante convincentes:

– 1º: Explica porque a leitura nos transforma interiormente. O vestibulando está querendo dizer que ler é moldar o espírito, a personalidade.

– 2º: Opõe o prazer da leitura à atividade receptiva de assistir à televisão

– 3º: O prazer da leitura não se restringe à elite. Qualquer um, independente do nível socioeconômico, pode fruir a leitura de bons livros, desde que a eles tenha acesso.

Por fim, o vestibulando conclui o seu texto, reafirmando a importância da leitura e propondo uma solução para o problema (“Medidas públicas devem ser…”), conforme pede o ENEM (veja, a seguir, os critérios de avaliação).

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA REDAÇÃO DO ENEM

  1.  Demonstrar domínio da norma culta da língua.
  2. Compreender  a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para desenvolver o tema, dentro do limite estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
  3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
  4. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
  5. Elaborar proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural

Por: Professora Karina formada em Letras (Português/Francês) pela UNESP.

Tags: ,

Comente