7 razões que te farão tirar zero na redação do Enem

Enem — Escrito por

Zerar na redação do Enem é um verdadeiro pesadelo. Além de diminuir consideravelmente a pontuação geral, impede de participar dos principais processos seletivos que usam a nota do Exame para classificar candidatos a vagas em universidades públicas, bolsas de estudos e financiamento estudantil a juros baixos.

Você não precisa correr esse risco!

Vamos contar as situações em que uma redação pode receber nota zero no Enem. Assim você fica preparado para fugir dessas armadilhas e arrasar no Exame. Confira!

 

7 razões que zeram a redação do Enem

Resumimos para você as 7 razões que resultam em um zero na redação do Enem.

 

1 – Não obedecer à estrutura dissertativo-argumentativa

O Enem pede um tipo bem específico de redação, o dissertativo-argumentativo. O modelo exige que você:

  1. Apresente sua opinião a respeito do tema proposto (sua tese). Essa será a introdução.
  2. Apoie sua tese em argumentos bem estruturados (fatos, dados históricos, estatísticas, etc.). É o desenvolvimento da sua redação.
  3. Elabore uma proposta de intervenção social para o problema apresentado no desenvolvimento do texto – a conclusão.

O texto deve ser desenvolvido em prosa e respeitar as normas da língua portuguesa.

Redações que não respeitem esse modelo recebem automaticamente um zero. Ou seja, nada de fazer poemas, contar uma estória, escrever cartas ou desenvolver qualquer tipo de texto que não seja o dissertativo-argumentativo.

A dica aqui é praticar o formato o máximo possível!

 

2 – Escrever 7 linhas ou menos

A redação do Enem não tem um número fixo de linhas. O edital fala em “até 30 linhas”. Mas isso não é motivo para relaxar! O ideal é tentar ficar o mais próximo das 30 linhas na folha que será entregue para correção.

Caso escreva 7 linhas ou menos, a redação é automaticamente zerada.

 

3 – Copiar texto motivador

Para situar o participante no tema proposto, a prova de redação do Enem apresenta um ou mais textos motivadores. Eles podem ser trechos de livros, anúncios publicitários, poemas, artigos, notícias, etc.

O que o Enem quer avaliar é a sua capacidade de articular ideias, por isso a redação deve ser original. Quem apenas copiar os textos que aparecem no enunciado da prova ganha um zero automaticamente. Não marque essa bobeira!

A cópia parcial dos textos, ou seja, copiar apenas um trecho, não rende zero. Mas essa prática não é nada recomendada – as linhas que você copiar serão descontadas da sua redação.

Portanto, trate os textos motivadores apenas como uma ajuda para embarcar no assunto, combinado?

 

4 – Xingamentos, desenhos e outras formas propositais de anulação

A regra é clara. Os avaliadores do Enem dão zero às redações que tiverem qualquer tipo de palavrão ou xingamento. Lembre-se de que o texto deve ser desenvolvido de acordo com a norma culta da língua portuguesa!

Desenhos também rendem zero, assim como rabiscar ou rasgar propositalmente a folha de redação.

 

5 – Fugir do tema

Aqui, temos duas situações:

  • O participante não entende o tema proposto e desenvolve seu texto sobre outro assunto
  • O participante desvia do assunto em alguma parte ou usa um texto aleatório para “encher linguiça” (receita de bolo, letra de música sem conexão com o tema, etc.)

Em ambas, a nota da redação é zero. No Enem de 2014, por exemplo, a fuga do tema (publicidade infantil) foi o principal motivo para zerar. Isso aconteceu com mais de 500 mil participantes.

 

6 – Desrespeitar os direitos humanos

No modelo dissertativo-argumentativo, a conclusão do texto precisa ser uma proposta de intervenção social para atacar o problema. Desde 2012, essa intervenção, ou solução, precisa respeitar os direitos humanos.

No material do MEC sobre a redação do Enem há alguns exemplos de desrespeito aos direitos humanos – todos renderam zero aos seus autores. Entre eles, há frases como:

  • “tem que apodrecer na cadeia”
  • “a solução é acabar com esses bandidos”
  • “matar esses pais idiotas”
  • “fazer justiça com as próprias mãos”

Posições que defendam qualquer tipo de discriminação, apologia à violência, intolerância, tortura, impedimento à liberdade de expressão, censura, etc. também ferem os direitos humanos.

 

7 – Entregar a folha de redação em branco

No segundo dia do Enem, os participantes têm cinco horas e meia para fazer três provas:

  • Linguagens e Códigos, com 45 questões objetivas
  • Matemática, com 45 questões objetivas
  • Redação

É preciso ficar concentrado e ser rápido: são menos de 3 minutos para responder a cada uma das 90 questões e depois passar o gabarito para o cartão-resposta. Sobra uma hora para elaborar o texto e passá-lo a limpo para a folha de redação.

Vale lembrar que os avaliadores do Enem não corrigem o rascunho do texto no caderno de prova. O que vale é a folha de redação devidamente preenchida. Se for entregue em branco, é zero na certa.

 

O título da redação é obrigatório?

Uma das dúvidas mais frequentes dos participantes do Enem é se o título da redação tem influência na nota. A resposta é: não tem. O título da redação é opcional e é considerado como linha escrita.

 

Cuidado com a letra

Capriche na hora de passar sua redação a limpo. Procure fazer uma letra fácil de entender, para que os avaliadores não tenham nenhuma dúvida durante a correção.

 

Como é corrigida a redação do Enem

Cada redação do Enem é corrigida manualmente, por pelo menos dois avaliadores diferentes, que não têm contato entre si e não sabem quem é o autor do texto.

Eles vão avaliar cinco critérios, cada um valendo 200 pontos. Caso as notas sejam muito diferentes, o texto vai para uma terceira correção. A nota só é definida quando houver consenso entre os avaliadores.

 

Veja também:

4 exemplos de redações que tiraram 1000 no ENEM

 

Ficaram claras as regras sobre a redação do Enem? Tem mais alguma dúvida? Compartilhe com a gente aqui nos comentários!

Comente