Conheça todas as mudanças do Enem para 2018

Enem — Escrito por

O Enem é certamente a prova mais importante e esperada do Brasil. Só que o exame, que todos os anos

é feito por milhões de estudantes, de vez em quando muda.

 

São alterações no formato das provas, nos benefícios que oferece, na informatização de alguns processos e por aí vai.

 

Por isso, quem vai fazer o Enem 2018 já deve chegar ao dia das provas com todas as mudanças em mente. Em 2017, por exemplo, o exame passou por uma mexida significativa – e as regras vão valer para o ano seguinte também.

 

Se você ainda não se ligou nessas mudanças, vem com a gente. Vamos explicar o que está diferente, o que você precisa fazer, os principais processos seletivos que aceitam a nota do Enem e, claro, sugestões legais de faculdades conceituadas onde você poderá entrar com seu desempenho no Exame.

 

 

As mudanças no Enem para 2018

Em maio de 2017 o Governo Federal anunciou algumas grandes mudanças no Enem. Elas passaram a valer desde então.

 

São basicamente cinco grandes alterações que dizem respeito aos seguintes itens:

  • Dias de aplicação das provas
  • Ordem de aplicação das provas
  • Certificação do ensino médio
  • Identificação do candidato nas provas
  • Isenção da taxa de inscrição

 

Conheça a seguir os detalhes de cada uma delas.

 

 

Mudança 1: Dia de aplicação das provas

Essa é a maior mudança de 2017 que valerá também para 2018: as provas do Enem vão acontecer em dois domingos seguidos (e não mais em um único fim de semana).

 

Para o participante a mudança pode ser bem positiva, pois permite um descanso maior entre uma prova e outra. Lembre-se de que o Enem é uma maratona. Por dia são 90 questões com graus de dificuldade diversos em duas áreas do conhecimento diferentes. Os candidatos têm apenas poucas horas para resolver tudo.

 

O Enem 2018 deve ocorrer em novembro do mesmo ano. Assim que o MEC definir o calendário, vamos contar tudo por aqui.

 

 

Mudança 2: Ordem de aplicação das provas

A ordem de aplicação mudou e passou a juntar provas similares. Ficou assim:

  • Primeiro domingo: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias + Redação + Ciências Humanas e suas Tecnologias
  • Segundo domingo: Matemática e suas Tecnologias + Ciências da Natureza e suas Tecnologias

 

O tempo continua o mesmo. No primeiro dia as provas terão duração máxima de 5 horas e 30 minutos. No segundo, uma hora a menos: 4 horas e 30 minutos.

 

Mudança 3: Certificação do ensino médio

Até 2016 o Enem podia ser usado para obter o certificado de conclusão do ensino médio.

 

Funcionava assim: na inscrição, o candidato maior de 18 anos que não tivesse concluído ainda o ensino médio podia assinalar a opção de usar o exame como certificador. Caso obtivesse a pontuação mínima exigida para cada prova, ele poderia retirar, posteriormente, seu certificado de conclusão do ensino médio em uma secretaria de educação ou outro órgão certificador.

 

Só que agora esse benefício caiu. Quem está nessas condições terá que fazer outra prova, o Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos (Encceja). O Encceja é gratuito e acontece em todo o país.

 

 

Mudança 4: Cadernos de questões

O MEC resolveu também que agora tanto os cadernos de questões quanto os cartões-resposta terão impressos o nome e o número de inscrição do candidato.

 

Essa medida, segundo o governo, tem o objetivo de reforçar a segurança das informações.

 

Até 2016 os candidatos recebiam o cartão separado da prova e tinham que fazer a identificação manualmente.

 

 

Mudança 5: Isenção da taxa de inscrição

O MEC resolveu fechar o cerco na questão da isenção da taxa de inscrição. Se antes bastava declarar-se de baixa renda para obter o benefício, agora será preciso comprovar a situação.

 

Mas não se preocupe: a gratuidade continua – mas somente para quem realmente precisa.

 

Estudantes de escolas públicas que estão concluindo o ensino médio ganham isenção automática. Os demais que não corresponderem a esse critério precisam estar cadastrados no CadÚnico e informar o número de Identificação Social (NIS) no momento da inscrição. Os sistemas cruzam os dados e concedem ou não o benefício na hora.

 

O candidato que declarar dados falsos poderá ser eliminado em qualquer etapa do Enem.

 

Quem ganhar o benefício e não comparecer ao Enem não poderá solicitar gratuidade no ano seguinte, a menos que apresente uma justificativa válida, por meio de atestados médicos ou documento oficial que explique o motivo da ausência.

 

 

Houve mudança no calendário do Enem?

Com exceção da mudança na aplicação das provas, que agora passa a ser em dois domingos seguidos, tudo continua como sempre.

 

O Enem segue basicamente o mesmo calendário:

  • Maio: abertura das inscrições
  • Segunda quinzena de outubro: liberação dos cartões de confirmação de inscrição
  • Início de novembro: aplicação das provas
  • Janeiro: divulgação dos resultados
  • Janeiro e fevereiro: abertura dos processos seletivos que usam a nota do Enem
  • Entre junho e agosto: realização dos processos seletivos do segundo semestre

 

O calendário oficial do Enem 2018 ainda não foi definido. Mas não se preocupe que vamos contar tudo aqui para você assim que o MEC divulgar o cronograma.

 

Onde você vai poder usar sua nota do Enem 2018

Se há algo que não muda no Enem 2018 são os processos seletivos que usam a nota do exame para distribuir vagas em faculdades públicas e privadas – ainda bem!

 

Quem fizer o Enem 2018 vai poder participar das três grandes seleções nacionais em 2019, que acontecem duas vezes por ano, no início de cada semestre letivo. Veja quais são:

 

  • Sisu 2019: O Sistema de Seleção Unificada distribui vagas em mais de uma centena de universidades públicas por todo o Brasil. É o processo seletivo mais concorrido de todos. Para participar do Sisu 2019 basta ter feito o Enem 2018 e ter tirado nota maior que zero na redação. O Sisu vale para todos os cursos que você possa imaginar, inclusive aqueles mais disputados, como Medicina, Direito e Engenharia.

 

  • ProUni 2019: Com o Programa Universidade para Todos o candidato que fez o Enem 2018 vai poder tentar bolsas parciais e integrais em faculdades particulares de primeira linha em 2019. Para isso é preciso apresentar desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação. O MEC direciona o programa a candidatos que se encaixam em certos critérios de renda e formação escolar.

 

  • FIES: O Fundo de Financiamento Estudantil é uma boa para quem pretende financiar os estudos. Os juros cobrados são baixos – às vezes a taxa é de 0%! – e o prazo para pagamento da dívida pode se estender por anos e anos. Para conseguir o benefício é preciso se encaixar nos critérios de renda familiar e ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação.

 

Mas os benefícios de participar do Enem 2018 não acabam aí.

 

Quem fizer o exame também pode entrar direto em centenas de faculdades particulares sem precisar fazer vestibular. Basta, para isso, apresentar as notas obtidas nas provas e, caso alcance a média necessária, fazer a matrícula e garantir seu lugar em um curso de nível superior. O melhor de tudo é que muitas vezes esse processo sai a custo zero para o candidato!

 

 

Faculdades que aceitam o Enem 2018

Todos os anos, centenas de instituições de ensino superior se inscrevem para participar dos principais processos seletivos envolvendo a nota do Enem.

 

Boa parte delas está na rede particular. Mas quanto a isso, não se preocupe: por lei, só podem participar das seleções aquelas que são bem avaliadas pelo MEC.

 

Ou seja, independentemente da sua escolha, é certo que você terá à disposição um ensino de qualidade, com diploma reconhecido e bem aceito no mercado de trabalho.

 

Pensando nisso, a gente separou algumas faculdades para você levar em conta na hora que for participar de algum processo seletivo ou optar por fazer ingresso direto com sua nota do Enem.

 

Confira:

 

 

Veja também:

50+ assuntos que sempre caem no ENEM

 

Vai fazer o Enem 2018? Nosso guia foi útil para você? Conte para a gente aqui nos comentários!

Comente