10 dicas sobre o novo acordo ortográfico

Atualidades — Escrito por

O período de transição para as novas regras ortográficas está se encerrando em 31 de dezembro de 2012. A Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CLP) iniciou este processo em 1º de janeiro de 2009.

Estas alterações foram feitas com o objetivo de tornar mais próximos os países que possuem o Português como língua oficial. Entre os países temos:

  • Brasil
  • Portugal
  • Angola
  • São Tomé e Príncipe
  • Cabo Verde
  • Moçambique
  • Timor Leste
  • Guiné-Bissau

Seguem, abaixo, 10 dicas sobre o novo acordo ortográfico:

Trema: não se encontram mais palavras que utilizam o trema. Nos casos de nomes próprios e seus derivados ainda se usa o trema, podemos citar: Müller, Hübner, hübneriano. Exemplos: consequência, frequência, linguiça, cinquenta.

Alfabeto: acrescentaram no alfabeto as letras K, W e Y que serão usadas em siglas, palavras de origem estrangeira, símbolos e nomes de pessoas, lojas, produtos (próprios). Exemplos: km, Byron, Tacyla.

Acentuação: ditongos abertos (ei, oi) não recebem acentuação em palavras paroxítonas. E os hiatos (ee, oo) também não. Exemplos: boia, ideia, jiboia, assembleia, voo, leem, creem, enjoo.

Hífen: as palavras que são compostas por prefixos ou falsos prefixos terminados em vogal não recebem hífen. Seguindo a regra anterior, as palavras iniciadas por s ou r ficam sem o hífen e devem ser duplicadas. Exemplos: antissocial, semirreal, antessala, autorretrato.

Ausência do hífen: não existe mais hífen em locuções de qualquer tipo. Exemplos: fim de semana, pão de mel, sala de jantar, cão de guarda. Exceções: mais-que-perfeito, pé-de-meia, água-de-colônia, à queima-roupa, arco-da-velha, cor-de-rosa, ao-deus-dará. Observação: prefixos terminados por r mantém o hífen se palavra que vier após for iniciada pela mesma letra. Exemplos: inter-racial, hiper-realista, inter-relação.

Crase: o modo como se utiliza a crase continua igual. O acento grave é usado na contração da preposição “a” com a forma feminina do artigo ou pronome demonstrativo “a”. Do mesmo jeito ocorre com a preposição “a” e os pronomes demonstrativos.Exemplos: à, às, àquele(s), àquela(s), àquilo.

Letras maiúsculas e minúsculas: meses do ano e pontos cardeais serão escritos em minúsculo. Títulos de livros podem ser maiúsculos ou minúsculos, no entanto a primeira palavra será sempre maiúscula. É permitida dupla grafia em expressões de tratamento em sítios públicos e edifícios e em nomes de disciplinas ou campos do saber. Exemplos: janeiro, junho, leste, sul, Insustentável Leveza do Ser ou Insustentável leveza do ser, Exmo. Sr. ou exmo. sr, Praça da República ou praça da república, História ou história, Português ou português.

Dupla grafia: é previsto diferença na pronúncia de algumas palavras entre os países de língua portuguesa, em sequência temos a forma falada em Portugal e depois no Brasil.

  • Característica, caraterística
  • Intersecção, interseção
  • Súbdito, súdito
  • Infeccioso, infecioso
  • Metro, metrô
  • Facto, fato
  • Olfacto, olfato
  • Conceção, concepção
  • Amnistia, anistia
  • Subtil, sútil
  • Vómito, vômito
  • Bebé, bebê
  • Amígdala, amídala

Palavras homógrafas: o acento gráfico não é usado para diferenciar palavras de mesma grafia com significados diferentes, paroxítonas que tem respectivamente vogal tônica aberta ou fechada. Exemplos: para (á) (verbo parar) e para (preposição), polo (ó) (substantivo) e polo (combinação antiga e popular de por +lo). Observação: a forma para (verbo parar) quando entra num composto separado por hífen, também não é acentuado: para-brisa, para-choque, para-lama. Exceção: pôr (verbo) mantém o acento para se diferenciar da preposição por. E pôde (pretérito perfeito do indicativo) permanece acentuado para se distinguir de pode (presente do indicativo).

Grafia: no português lusitano (de Portugal) desaparecem o “c” e o “p” de palavras em que essas letras não são pronunciadas. Exemplos: acção, acto, adopção, óptimo, se tornando ação, ato, adoção e ótimo, igual no português utilizado no Brasil.

Academia Brasileira de Letras disponibiliza um link para quem tiver maiores dúvidas sobre o novo acordo ortográfico, basta acessar o site da Academia.

Tags:

Comente