O reino monera compreende duas divisões: Schizophyta (bactérias) e Cyanophyta (cianofíceas). Embora sejam unicelulares, esses organismos podem às vezes grupar-se, formando massas ou filamentos de células – as colônias.

Bactérias
Com cerca de 3000 espécies, as bactérias estão entre os menores e mais simples organismos atuais e são provavelmente os organismos mais abundantes do planeta.

As doenças bacterianas podem ser transmitidas por gotículas de saliva de pessoas contaminadas (caso da tuberculose, lepra, difteria, coqueluche), por contato com alimento ou objeto contaminado (disenteria bacilar, tétano, tracoma)ou por contato sexual (gonorréia, sífilis).Contra essas doenças temos as defesas naturais de nosso corpo (produção de anticorpos, fagocitose etc.)e as defesas artificiais, representadas pelos antibióticos, vacinas e soros.

Certas bactérias são úteis: as que vivem no intestino humano e fabricam vitamina K e vitaminas do complexo B, as que digerem a celulose no tubo digestivo dos ruminantes e as que são utilizadas na produção de iogurtes e queijos, por exemplo.
Morfologia

A maioria das bactérias não ultrapassa cerca de 1 micrômetro, algumas podem atingir o comprimento de até 10 micrômetros ou mais. A célula bacteriana apresenta uma parede de polissacarídeos e proteínas interligadas sem forma de rede que muitas vezes é coberta por uma cápsula gelatinosa. Abaixo da parede bacteriana, encontramos a mambrana plasmática, que pode formar invaginações ou dobras chamadas mesossomos. São estruturas ricas em enzimas respiratórias e importantes no período de divisão celular da bactéria, guiando o material genético para os polos da célula. No citoplasma das bactérias, encontramos apenas o DNA, ribossomos e grãos de glicogênio (reserva de alimento), faltando os outros organóides que são típicos das células eucariotas. O DNA tem forma circular, não estando ligado a proteínas, como ocorre nos eucariontes. Alem disso, não há menbrana nuclear separando o material genético do citoplasma. Muitas bactérias possuem filamentos longos usados para natação. Eles são formados por apenas uma fibrila que serve de eixo. De acordo com a sua forma, as bactérias podem ser esféricas (cocos), em bastonete (bacilos), em bastonete curvo (vibrões ) ou em hélice (espirilos). Essas formas podem associar-se, constituindo colônias típicas de cada espécie.
Nutrição

A maioria das bactérias é heterotrófica por absorção retirando moléculas orgânicas já digeridas do ambiente ou de seres vivos que parasitam. As outras bactérias são autotróficas por fotossíntese ou por quimiossíntese. As fotossintetizadoras possuem, associados às menbranas internas, pigmentos capazes de absorver a luz do Sol, chamados bacterioclorofilas, diferentes das clorofilas a e b encontradas nas plantas. Essas bactérias não usam água na sua fotossíntese e por isso não liberam oxigênio. Um exemplo de fotossíntese bacteriana é o das tiobactérias, que usam o gás sulfídrico no lugar da água. As bactérias que fazem quimiossíntese utilizam a energia química em vez de energia luminosa para a síntese das suas cadeias de carbono. A energia química utilizada é proveniente de reações químicas de oxidação de compostos minerais.
Respiração e excreção

As bactérias podem ser aeróbias ou anaeróbias. As bactérias anaeróbias podem ser facultativas e obrigatórias (ou estritas). As bactérias anaeróbias facultativas são assim chamadas porque tanto podem fazer respiração aeróbia – quando um ambiente tiver oxigênio – como respiração anaeróbia – caso falte esse gás. As anaeróbias obrigatórias não possuem as enzimas adequadas para o aproveitamento do oxigênio e morrem na presença desse gás como é o caso do bacilo do tétano.
Reprodução

A principal forma de reprodução das bactérias é a assexuada, por divisão binária ou bipartição. Vem dessa propriedade o nome do ramo a que elas pertencem: esquizófitos (esquizo = divisão). A célula aumenta de tamanho e o DNA se duplica, juntamente com o mesossomo, que orienta a migração do DNA para as extremidades da célula. Realiza, portanto, um papel semelhante ao do fuso acromático das células eucariontes. Em seguida, a célula se divide ficando uma cópia do DNA para cada célula filha. As bactérias podem realizar um processo semelhante à reprodução sexuada típica, chamado conjugação: duas bactérias se ligam pelo pilo; ocorre então a transferência de DNA de uma bactéria para a outra. Além de aumentar a variedade genética, a conjugação explica como a resistência a antibióticos pode espalhar-se entre várias espécies de bactérias.

Doenças causadas por bactérias: Turbeculose, lepra ou hanseníase, difteria, coqueluche, tétano, tracoma, disenterias bacterianas, gonorréia ou blenorragia, sífilis e meningite meningocócica.

Cianofíceas

Também conhecidas como ciano bactérias são encontradas nas águas doces, nos mares, nos solos e até mesmo em fontes de água quente, onde chegam a suportar mais de 70 C. Realizam fotossíntese e fixam o nitrogênio do ar, além de apresentarem grande resistência às variações de temperatura.

Morfologia

A parede celular é idêntica à da bactéria, sendo às vezes revestida por uma capa gelatinosa, portadora de pigmentos coloridos. Portanto, cianofíceas não são azuis; pigmentos de outras cores podem mascarar a ficocianina.
Nutrição

Autotróficas fotossintetizantes, capazes de fixar o nitrogênio do ar atmosférico, aproveitando esse ar para construir suas proteínas.
Reprodução

A reprodução das cianofíceas ocorre de uma forma assexuada por divisão binária. As formas coloniais podem se reproduzir fragmentando-se em pedaços menores, chamados hormogônios, que crescem e originam novas colônias.

Fonte: www.iesambi.org.br