Denominados também terrestres, compreendem os caules eretos, os rasteiros, os estolhos, os trepadores, os volúveis e os caules das plantas epífitas.

Eretos – crescem verticalmente sobre o solo e podem ser:

Tronco – caule lenhoso, cilíndrico ou ligeiramente cônico, isto é, mais desenvolvidos na base do que na região superior, onde se inserem os ramos . É o caule das árvores em geral, frequente nas Dicotiledôneas, Eucalyptus sp sp ., Perobeira, Mangueira (Mangifera indica indica ) e nas Ginospermas- Sequóias da Califórnia, Pinheiro-do-Paraná (Araucaria angustifolia angustifolia ), Pinos (Pinus sp.)

Nos arbustos o caule também é lenhoso, todavia menos desenvolvidos do que nas árvores. O caule e os ramos que se formam desde a base possuem aproximadamente o mesmo diâmetro, como no Chazeiro –(Thea sinensis sinensis ) e no Cafeeiro.

Os sub-arbustos são de menor tamanho que os arbustos, com caules lenhosos e ramos herbáceas, como no quiabeiro.

Estipe – espique ou estípite- Caule geralmente cilíndrico, sem ramificação, com as cicatrizes foliares de formas diversas, comumente coroado por um tufo de folhas. Entre as Monocotiledôneas encontramos as palmeiras, fig. 19-b, árvore-do-viajante (Ravenala madagascariensis) madagascariensis) madagascariensis) e dracenas (Dracaena sp. sp. ); entre as Dicotiledôneas citamos o mamoeiro (Carica papaya); entre as Ginospermas mencionamos o sagú-do-japão (Cycas revoluta e Cycas circalis); entre as Pteridófitas, figuram os fetos arborescentes (Alsophylla, Cyathea e Dicksonia).

COLMO

Caule via de regra sem ramificação, com nós bem delimitados, anelares, e cada qual provido de uma gema e folhas invaginantes, entre-nós ou gomos de forma cilíndrica, podendo haver gomos convexos e côncavos os gomos são separados uns dos outros, por um disco interno ou diafragma. O colmo apresenta, assim, aspecto articulado. Na extremidade, existe uma gema ativa. Os colmes podem ser compactos, maciços ou cheios, como no milho, cana-de-açúcar, isto é, com tecido medular e ocos ou fistulosos, como no bambu, desprovido do tecido medular.

HASTE

Caule das ervas e de alguns subarbustos, de natureza herbácea, como na couve, mandioqueira, fumo (Hicotirana tabacum tabacum ), tomateiro, craveiro (Lianthus caryophyllatus caryophyllatus ). Em algumas espécies, a haste é ligeiramente lignificada na base, como no repolho, brócoli (Brassica oleracea var. botrytis).

Fonte: www.consulteme.com.br