No ecossistema, o elemento oxigênio captado pelos seres vivos provém de três fontes principais: gás oxigênio (O2), gás carbônico (CO2) e água (H2O).

O O2 é captado por plantas e animais e utilizado na respiração. Nesse processo, átomos de oxigênio se combinam com átomos de hidrogênio, formando moléculas de água. A água formada na respiração é em parte eliminada para o ambiente através da transpiração, da excreção e das fezes, e em parte utilizada em processos metabólicos. Dessa forma os átomos de oxigênio incorporados à matéria orgânica podem voltar à atmosfera pela respiração e pela decomposição do organismo, que produzem água e gás carbônico.

A água também é utilizada pelas plantas no processo da fotossíntese. Nesse caso, os átomos de hidrogênio são aproveitados na síntese da glicose, enquanto os de oxigênio são liberados na forma de O2.

O oxigênio presente no CO2 poderá voltar a fazer parte de moléculas orgânicas através da fotossíntese.

O oxigénio é o elemento mais abundante em massa na crosta terrestre e nos oceanos, e o segundo na atmosfera.

Na atmosfera encontra-se como oxigénio diatómico/oxigénio molecular (O2), dióxido de carbono (CO2), ozono (O3), dióxido de nitrogénio (NO2), monóxido de nitrogénio (NO), dióxido de enxofre (SO2), etc.

O ciclo do oxigénio descreve o movimento do oxigénio entre os seus três reservatórios principais: a atmosfera (os gases que rodeiam a superfície da terra), a biosfera (os organismos vivos e o seu ambiente próximo) e a litosfera (a parte sólida exterior da terra). Este ciclo é mantido por processos geológicos, físicos, hidrológicos e biológicos, que movem diferentes elementos de um depósito a outro. O oxigénio molecular (O2) representa 20% da atmosfera terrestre. Este oxigénio satisfaz as necessidades de todos os organismos terrestres que o respiram no seu metabolismo O principal factor na produção de oxigénio é a fotossíntese, que é responsável pela moderna atmosfera terrestre e pela vida, tal como a conhecemos.
Reservatórios de OxigénioA maior parte do oxigénio existente (99.5%) está concentrada na crosta e manto da Litosfera. Apenas uma pequena fracção do oxigénio existente está contida na atmosfera (0.49%), esta percentagem representa cerca de 20% da atmosfera. Uma parte muito menor do oxigénio está contida na biosfera (0.01%).
Fluxos de Oxigénio

A maior fonte do oxigénio presente na atmosfera e biosfera é a fotossíntese que transforma dióxido de carbono e água em oxigénio e açúcar.

6CO2 + 6H2O + energy —>C6H12O6 + 6O2

Uma fonte adicional de oxigénio é a fotólise, onde energia proveniente de radiação ultravioleta decompõe água atmosférica e óxido de azoto.

2H2O + energy –>4H + O2 2N2O + energy —>4N + O2

O principal processo de remoção de oxigénio da atmosfera é a respiração.

C6H12O6 + 6O2 –>6CO2 + 6H2O + energia Também no processo de decomposição animais e bactérias consomem oxigénio e libertam dióxido de carbono.

Devido aos minerais da litosfera serem oxidados em oxigénio, o desgaste químico das rochas expostas também consome oxigénio. Um exemplo de desgaste químico da superfície é a formação de óxidos de ferro (ferrugem):

O2 + energia uv —>2O
O + O2 + energia uv —>O3

O oxigénio também tem um ciclo entre a biosfera e a litosfera. Os organismos marinhos na biosfera criam conchas de carbonato de cálcio (CaCO3) que é rico em oxigénio. Quando o organismo morre, a sua concha é depositada no chão do mar e enterrado ao longo do tempo para criar a rocha na litosfera. As plantas e animais extraem nutrientes minerais das rochas e libertam oxigénio durante o processo.

OZONIO

A presença do oxigénio atmosférico originou a formação de ozono e da camada do ozonio na estratosfera. A camada do ozono extremamente importante para a vida moderna, visto que absorve a radiação ultra violeta nociva.

FÓSFORO

Uma teoria interessante é que o fósforo (P) no oceano ajuda a regular a quantidade de oxigénio atmosférico. O fósforo dissolvido nos oceanos é um nutriente essencial para a fotosíntese nos ocanos e um dos principais factores limitativos. A fotossíntese nos oceanos contribui aproximadamente com 45% do oxigénio total livre no ciclo do oxigénio. O crescimento da população de organismos que fazem fotossíntese é limitada principalmente pela disponibilidade de fósforo dissolvido.

Um dos efeitos secundários das minas e das actividades industriais é o aumento dramático da quantidade de fósforo descarregado nos oceanos. No entanto, este aumento não se reflecte num aumento correspondente da fotossíntete nos oceanos. Isto acontece porque um aumento da população que faz fotossíntese resulta em maiores níveis de oxigénio nos oceanos. Os elevados níveis de oxigénio promovem o crescimento de certo tipo de bactérias que competem pelo fósforo dissolvido. Esta competição limita a quantidade de fósforo disponível para a fotossíntese nos oceanos, limitando a população total assim como os níveis de O2

Fonte: www.rainhadapaz.g12.br