Os caules são bem variados e por isso foram classificados em três tipos, de acordo com o meio em que vivem: aéreos, subterrâneos e aquáticos.

Caules aéreos São os mais comuns de todos e se desenvolvem ao o ar livre. Podem ser eretos, rastejantes ou trepadores.

Os caules eretos são aqueles que cressem acima do solo, na vertical para cima. Divide-se em seis tipos: tronco, haste, estipe, colmo, cladódio e filocládio.

Caules rastejantes são os que se desenvolvem espalhando-se pele solo, onde se fixam por meio de raízes.

Caules trepadores são aqueles que cressem fixando-se em suportes, como estacas, cercas e muros. A fixação pode ser através do enroscamento do caule em torno do suporte (caules volúveis) ou através de elementos de fixação (caules sarmentosos).
Caules subterrâneos

O caule subterrâneo desenvolve-se de baixo da terra. Podem ser de três tipos: rizomas, tubérculos e bulbos.

Os rizomas crescem junto a superfície da terra, emitindo ramos de folhas de espaço em espaço.

Os tubérculos são usados como alimento. Acumulam nutrientes, caracterizasse por serem em geral muito grossos. A batata inglesa é um exemplo desse tipo de caule.

Os bulbos são órgãos formados por raízes, caules e folhas. Alguns bulbos como o alho e a cebola, são usados na alimentação.
Caules aquáticos

Desenvolvem-se dentro da água, como exemplo a Nufar e a Vitória-régia.

Fonte: amora.cap.ufrgs.br