O desempenho no Enem serve para conseguir uma bolsa de estudos em faculdade privada, entrar na universidade pública sem fazer o vestibular, conseguir financiamento do FIES, obter o certificado de conclusão do Ensino Médio e muito mais.

Mas será que dá para saber a nota do Enem antes de sair o resultado? Como fazer para somar a nota do Enem?

Descubra como são corrigidas as provas e como funciona a somatória das notas do Enem!

Como somar a nota do Enem

A soma da nota do Enem tem duas partes:

  • Provas Objetivas: têm ao todo 180 questões e estão divididas em 4 áreas do conhecimento (Matemática, Linguagens e Códigos, Ciências Humanas e Ciências da Natureza). São corrigidas de acordo com a Teoria de Resposta ao Item (TRI) e a pontuação máxima fica em torno de 1.000 pontos.
  • Prova de Redação: a nota da redação vale 1.000 pontos e é corrigida manualmente, por avaliadores especializados.

Como somar a nota das provas objetivas do Enem

Para somar sua pontuação nas provas objetivas do Enem, não basta contar as questões que você acertou. Isso porque o cálculo do desempenho nas provas objetivas é realizado com base na Teoria de Resposta ao Item (TRI).

A TRI tem cálculos complexos que considera, entre outras coisas:

  • Dificuldade: quanto mais difícil a questão, mais pontos ela soma. A dificuldade das questões é calculada de acordo com o desempenho geral de todos os candidatos. Ou seja, se você acertar uma resposta que quase ninguém acertou, sua pontuação para aquele item aumenta.
  • Consistência: identifica os “chutes”. Com base no desempenho individual de um candidato, a TRI determina se ele realmente sabia o conteúdo ou se apenas “chutou” as respostas.

Por considerar variáveis difíceis de prever individualmente, a TRI impede que o candidato consiga saber sua nota do Enem antes de sair o resultado. É um sistema que primeiro avalia todos os candidatos, depois determina as pontuações individuais.

Como somar a nota da redação do Enem

A redação do Enem vale 1.000 pontos e, a contrário das provas objetivas, é corrigida manualmente, por professores e avaliadores especializados.

É importante ficar atento para não tirar zero na redação do Enem, pois muitos programas como o ProUni, Sisu e FIES não aceitam candidatos que zeraram na redação.

Os motivos que levam um candidato a tirar zero na redação do Enem são:

  1. Fugir do tema proposto
  2. Não obedecer o tipo de redação solicitado
  3. Não atingir o número mínimo de linhas
  4. Usar xingamentos ou outras formas propositais de anulação
  5. Desrespeitar os Direitos Humanos
  6. Entregar a Folha de Redação em branco
  7. Não conseguir demonstrar nenhuma das cinco competências avaliadas

As cinco competências avaliadas na prova de redação são as seguintes:

  1. Demonstrar domínio da escrita formal da Língua Portuguesa.
  2. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro do modelo dissertativo-argumentativo em prosa.
  3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, argumentos, fatos e opiniões para defender um ponto de vista.
  4. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para construir a argumentação.
  5. Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Cada uma dessas competências vale 200 pontos. Assim, para receber a nota máxima (1.000 pontos), é necessário demonstrar excelentes conhecimentos nos cinco itens.

Cada uma das milhões de provas de redação do Enem é corrigida por pelo menos dois avaliadores. Caso as notas sejam muito diferentes, com discrepância de 200 pontos ou mais, a redação passa por uma terceira correção.

Onde usar a nota do Enem

A nota do Enem pode ser usada para:

  • Entrar no ProUni: O Programa Universidade para Todos oferece bolsas de estudos em faculdades particulares. Além de cumprir os requisitos de renda e escolaridade, o candidato precisa ter feito o Enem no ano anterior, com pelo menos 450 pontos na média das provas objetivas e nota maior do que zero na redação.

O ProUni seleciona os candidatos com as melhores notas do Enem concorrendo a uma mesma vaga.

As inscrições são gratuitas e acontecem duas vezes por ano.

  • Entrar no Sisu: O Sistema de Seleção Unificada classifica candidatos a uma vaga em universidade pública a partir da nota do Enem. Para participar, é obrigatório ter feito o Exame no ano imediatamente anterior, com nota maior do que zero na redação.
    O Sisu tem duas edições por ano e as inscrições são gratuitas.
  • FIES: O FIES é o programa de Financiamento Estudantil do Governo Federal. O aluno só começa a pagar a dívida das mensalidades  depois de formado e a taxa de juros é baixa (6,5% ao ano). Para participar, o candidato precisa ter obtido pelo menos 450 pontos na média das provas e nota maior do que zero na redação em qualquer edição do Enem a partir de 2010.
    As inscrições são gratuitas.
  • Certificado do Ensino Médio: Quem não está matriculado em uma escola regular do ensino médio pode conseguir o certificado de conclusão para comprovar o nível médio de escolaridade. É necessário marcar essa opção ao se inscrever no Enem, ter pelo menos 18 anos completos na data das provas, obter pelo menos 450 pontos nas provas objetivas e 500 pontos na redação.

Veja também:

Como usar a nota do Enem para ingressar na faculdade