Descubra como usar o Fies para pagar a faculdade

Fies — Escrito por

Entenda quais são as modalidades, os critérios e as regras de pagamento do Fies. Veja também como se inscrever, além de boas opções de faculdades.

O Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) foi criado em 2001 pelo MEC (Ministério da Educação) para ajudar estudantes que não têm condições de pagar as mensalidades de instituições privadas de ensino superior.

O crédito é oferecido a juros bem abaixo dos praticados pelo mercado, e o estudante começa a pagar pelo empréstimo apenas depois de formado. Em 2018, o Fies sofreu algumas mudanças e passou a ser conhecido como “Novo Fies”. 

Hoje, o programa inclui diferentes modalidades, dependendo da renda familiar do aluno participante. Quer entender como funciona? Explicamos os detalhes abaixo. Acompanhe!

Quais são as modalidades do Fies?

O Novo Fies trabalha com duas modalidades:

  • Fies, para estudantes com renda familiar de até 3 salários mínimos por pessoa. Nessa modalidade, os alunos selecionados têm as mensalidades da graduação financiadas a juros zero, e o contrato é assinado na Caixa Econômica.
  • P-Fies, para estudantes com renda familiar entre 3 e 5 salários mínimos por pessoa. Nesse caso, o financiamento é firmado com bancos privados, e são eles que definem as condições do contrato (modo de pagamento, juros etc.). 

Como funciona o pagamento do Fies?

Na modalidade Fies, que corresponde à maioria dos contratos firmados, o total do valor financiado depende da renda familiar do candidato e do valor das mensalidades do curso escolhido.

Ao contrário do que muitos pensam, a faculdade não sairá de graça ao longo do curso. Por exemplo: se, após as avaliações e os cálculos de renda, o estudante tiver direito a 80% de financiamento e a mensalidade do curso for de R$ 1.000,00, ele terá que pagar R$ 200,00 por mês (os 20% restantes da mensalidade), além de uma taxa de gastos operacionais e um seguro de vida (de até R$ 15,00).

Quando concluir a graduação, o formando começará a pagar a dívida com o Fies a juros zero (se não houver atraso). O valor a ser pago por mês será proporcional ao salário do recém-formado e descontado diretamente da folha de pagamento.

Já quem estiver desempregado deverá pagar uma quantia mínima por mês, que aumenta com o passar do tempo:

  • No primeiro ano, 70% do valor que era pago mensalmente durante o curso.
  • No segundo ano, 75% do valor que era pago mensalmente durante o curso.
  • A partir do terceiro ano, 100% do valor que era pago mensalmente durante o curso.

Vale lembrar que, na modalidade P-Fies, as regras de pagamento dependem do contrato firmado com o banco privado.

Quem pode se inscrever no Fies e no P-Fies?

Além de cumprir os critérios de renda, só pode se inscrever no Fies ou no P-Fies o estudante que tenha participado do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) a partir de 2010, com média aritmética das notas nas provas igual ou superior a 450 pontos e nota acima de zero na Redação.

Como se inscrever?

As inscrições são abertas duas vezes por ano, no começo do primeiro e do segundo semestre (meses de fevereiro e junho).

Para se inscrever no processo seletivo do Fies e do P-Fies, acesse o site do FiesSeleção (Sistema de Seleção do Fies), dentro do portal do MEC. 

Feito isso, informe CPF e data de nascimento. Se houver registro de participação no Enem e da nota mínima, o sistema pedirá o cadastro de uma senha e um e-mail pessoal válido, para o qual será enviado o link de ativação do cadastro.

Após a ativação, é necessário retornar ao sistema FiesSeleção, clicar sobre a opção “Já sou cadastrado”, e informar o CPF e a senha cadastrada. 

Feito isso, o sistema pedirá dados pessoais, dados dos componentes do grupo familiar e suas respectivas rendas. Quem informar renda mensal por pessoa acima de 1,5 salário mínimo deverá cadastrar também um fiador.

Para concluir a inscrição, o estudante deve selecionar um grupo de preferência (região e graduação desejada) e escolher até 3 opções de curso entre os que têm vagas disponíveis.

Depois de preencher as opções, o site informará em quais modalidades de financiamento a inscrição se enquadra e o estudante poderá escolher em qual deseja concorrer. 

Alternativas ao Fies

Infelizmente, com a crise econômica, conseguir o Fies ficou mais difícil nos últimos anos. Mas saiba que existem alternativas: há ótimas universidades particulares com sistemas próprios de bolsas e financiamentos e que aceitam o Enem como forma de ingresso direto (sem fazer o vestibular tradicional). Aqui estão algumas delas:

Todas essas instituições são credenciadas pelo MEC e emitem diplomas válidos em todo o território nacional. Para saber mais sobre cursos, processos seletivos e descontos, é só clicar nos links acima e navegar pelos sites. Boa sorte e bons estudos!

Leia também:

Descubra se é possível fazer o Fies com nome sujo

Confira o que fazer com a nota do Enem

Você pretende usar o Fies? Para qual curso? Deixe um comentário contando para a gente!

Comente