David Hume (1771-1776)

História — Escrito por

Por: Felix

David Hume (1771-1776)
Filósofo escocês exemplo do empirismo e do ceticismo moderado. Principais características de seu pensamento:

  • Assim como Locke, Hume era empirista, acreditando que a noção das coisas reais vem com a nossa capacidade sensorial (sentidos).
  • Ele acredita que não existe pensamento, por mais complexo que seja, que não derive de idéias simples, cópias de alguma sensação anterior. Nada é original nesse sentido.
  • Criticou a noção comum de causa-efeito (causalidade). Não existe necessariamente, para Hume, uma relação entre acontecimentos seguidos e repetidos diversas vezes: são apenas fatos isolados que devem ser analisados individualmente, sem atribuir ao anterior o rótulo de causa e ao último o de conseqüência. (EX: num jogo de sinuca, quando se dá uma tacada numa bola e esta acerta outra, que se movimenta. No pensamento de causalidade, o movimento da segunda bola seria conseqüência da tacada. Para Hume, é diferente: cada movimento deve ser analisado individualmente, ou seja, não existe uma causa anterior para que a segunda bolinha se mova, apenas o fato de uma força instantânea ter sido aplicada nela por outra bolinha.)
  • Questionou, também, a idéia de Identidade pessoal que todos temos: se todos nós mudamos de acordo com nossas experiências e idéias, como definir-nos de acordo com nossa mentalidade? Para Hume, a mente não pode ser postulada como substância pensante. (Difícil de entender? Talvez, mas é só pensar que você não é o mesmo que era há dois anos. Que o seu “eu”, é resultado da sua situação (externa e internamente) num determinado momento de sua vida.)
  • Ceticismo moderado: ele questiona todo o conhecimento tido como tal, dizendo que esse conhecimento também muda de acordo com fatores circunstanciais e não deve ter tido como absoluto (é apenas provável nas circunstâncias em que foi instituído). O que temos, realmente, como verdade, são apenas expectativas. OBS: nessa tese, a matemática fica de fora, sendo ela A ciência exata.
  • “A Razão é escrava das paixões”: como todos somos influenciados por nossas emoções/paixões (não se pode ser completamente intelectual, embora dê pra desconfiar de algumas pessoas, né Huff? – Aliás, parabéns pelo aniversário, cara!) Voltando: somos influenciados por nossas emoções e, assim, nossas idéias também o são.

Comente