Em 2004, o Governo Federal lançou o Programa Universidade para Todos (Prouni) a fim de beneficiar estudantes de todo o Brasil com bolsas integrais ou parciais, em várias instituições de educação superior privadas do país. A iniciativa vem dando certo e, a cada ano, é maior o número de candidatos interessados no benefício.

Se você é um deles, mas ainda possui algumas dúvidas a respeito do funcionamento do Prouni, confira a seguir 10 das dúvidas mais frequentes sobre o programa e fique por dentro de todos os detalhes:

1 – Como ganhar uma bolsa no Prouni?

Em primeiro lugar é importante deixar claro que o Prouni é um programa e você precisará se cadastrar para poder concorrer a uma bolsa de estudos. A escolha é baseada em pré-requisitos, além de estar diretamente relacionada à participação no Prouni do ano de candidatura.

Para se inscrever, é preciso acessar o site do programa tendo em mãos o número de inscrição e senhas do Enem. Em seguida, o passo a passo é simples e bastante dinâmico. Contudo, antes de manifestar o interesse, é preciso se certificar de ter alcançado 450 pontos, no mínimo, na média das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, quem zerou a redação também não pode participar, independentemente da nota das demais provas.

Existem ainda outros critérios para concorrer a uma bolsa de estudos pelo Prouni como: ter cursado todo o ensino médio em escola pública ou em escola particular, desde que como bolsista integral; apresentar deficiência física; ser professor da rede pública do quadro permanente, e ter renda per capta compatível aos critérios do programa. Somente depois de cumprir os requisitos é que você poderá concorrer a uma bolsa pelo Prouni.

2 – Depois de realizar a inscrição, ganho a bolsa automaticamente?

Não. A bolsa será concedida de acordo com diversos critérios, como os citados anteriormente, além de depender da quantidade de vagas disponibilizadas pelas universidades e cursos por você optado.

3- Como saber se minha renda familiar se encaixa no Prouni?

Para calcular a renda familiar é preciso somar o salário de todos os membros da casa e dividir por cada um.  Mãe, pai, padrasto, madrasta, cônjuge, companheiro (a), filho(a), enteado(a),irmão (ã) e avó(ô) que moram juntos, devem ser considerados.

Se você possuir renda familiar bruta, por pessoa, de até um salário mínimo e meio pode concorrer a bolsa integral. Caso o valor seja de até três salários mínimos per capta, a bolsa é parcial, de 50%.

4 – É preciso fazer vestibular para concorrer ao Prouni?

Não. O estudante não precisa prestar o vestibular e nem mesmo estar matriculado na universidade em que pretende estudar. As exigências necessárias estão relacionadas às condições financeiras, realização e notas no Enem, bem como em algumas condições pessoais, como ser portador de deficiência, por exemplo.

5 – É possível contar com Prouni e Fies ao mesmo tempo?

É sim. Mas só vai valer para os candidatos que obtiveram a bolsa parcial, de 50% – afinal, o bolsista integral não precisará arcar com custo algum. Então, o restante poderá ser financiado pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

6 – É possível escolher qualquer curso em qualquer instituição?

Você poderá optar por qualquer curso e instituições de ensino que estejam disponíveis no ato da inscrição. Isso porque são as universidades participantes que definem a quantidade de vagas e os cursos ofertados. Até o encerramento do cadastro é possível mudar de opinião, tanto em relação ao curso quanto da universidade. Depois, para realizar transferências, será necessário entrar em contato com as instituições, já que cada uma segue suas próprias regras e possuem liberdade para isto.

7 – Qual a diferença entre o Prouni e o Sisu?

Para participar tanto do Prouni quanto do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é preciso ter feito o Enem. No entanto, no primeiro caso, o programa concede bolsas em instituições privadas. Já o outro, trata-se de um sistema no qual instituições públicas oferecem vagas para candidatos que obtiveram boas notas no Enem.

8 – Posso perder a bolsa do Prouni?

Sim. Existem alguns casos em que você pode perder a bolsa. Um deles é quando informações importantes são sonegadas. Outro exemplo é quando o candidato já fez ou está realizando outro curso universitário.

Outra possibilidade, que parece até injusta mas pode causar o cancelamento da bolsa, é quando há um aumento substancial na renda familiar. Se o aluno não tiver aprovação em, no mínimo, 75% do total das disciplinas cursadas em cada período letivo, também poderá perder o benefício. Essas são as principais situações de risco.

9 – E se não houver formação de turma na universidade escolhida?

Não tem jeito. A bolsa só será concedida se houver formação de turma no período letivo inicial do curso. Dessa forma, o candidato pré-selecionado será reprovado e terá direito ao benefício apenas se já estiver matriculado no curso. Portanto, continua concorrendo na chamada seguinte e, caso não seja pré-selecionado, pode participar da lista de espera.

10 – Como funciona a lista de espera?

Poderá participar da lista de espera quem não for aprovado em nenhuma das duas primeiras chamadas regulares. Nesse caso, o estudante precisará entrar no site e manifestar o interesse em participar deste processo, de acordo o prazo estabelecido. Poderá participar da lista exclusivamente para o curso correspondente à sua primeira opção, o candidato não selecionado nas chamadas padrões ou pré-selecionado em sua segunda opção de curso, mas reprovado por não formação de turma.

Já para a lista referente ao curso correspondente à segunda opção, o candidato não deve ter sido selecionado nas chamadas regulares em que tenha ocorrido não formação de turma na sua primeira opção.

Agora que você já conhece a resposta para algumas das perguntas mais frequentes sobre o Prouni, fique atento aos prazos de inscrição e participe! Se ainda assim tiver algum questionamento, compartilhe-as conosco através dos comentários. Estamos aqui para ajudá-lo a conquistar o seu espaço no mercado de trabalho!.