É a história em si, que começa a ser narrada a partir de um fato, e que se desenrola pela ação do tempo, do espaço, dos personagens, dando-se a conclusão.

Narrador: é aquele que narra a história. O foco narrativo (ponto de vista do narrador), pode-se apresentar de duas formas:

Narrador em 1ª pessoa: é aquele que participa da história, não sendo necessariamente o protagonista. O Narrador em 1ª pessoa condiciona o leitor a entender e a interpretar todos os elementos da narrativa a partir da visão de mundo de quem a estruturou;
narrador em 3ª pessoa: não participa da história, sendo portanto, neutro, pois não toma partido de nenhuma personagem. Este tipo de narrador relata os fatos com objetividade, não julgando diretamente esta ou aquela personagem.

Narrador onisciente: aquele que tudo sabe, que conhece o interior das personagens, pode explicar seu passado e adiantar o que farão no futuro.
Narrador observador: aquele que se limita a contar o que pode ser testemunhado de fora.

Personagem: é aquele que participa da história de forma direta ou indireta. Pode ser classificado em:

Protagonista: é o personagem principal. Se divide em:
a)- herói: apresenta características superiores às de seu grupo;
b)- anti-herói: é o protagonista que apresenta características iguais ou inferiores às de seu grupo, mas que por algum motivo está na posição de herói, só que sem competência para tanto.

Antagonista: é aquele que se opõe ao protagonista. É o vilão da história.

Personagens secundários: exercem papel secundário na história, aparecendo com menor freqüência. Servem de ajudantes ou de confidentes do protagonista.

Tempo: é quando o fato ocorreu. Pode ser cronológico ou psicológico. O tempo cronológico é mensurável em horas, dias, meses e anos. Já o tempo psicológico obedece ao fluxo de consciência de que narra, ou seja, obedece a ordem determinada pelo desejo ou imaginação

Espaço: é o local onde se desenrola os fatos.

Conflito: situação de tensão, de suspense.

NARRAÇÃO

1) Cria-se uma EXPECTATIVA para as personagens e para o leitor.
2) A expectativa contém ÍNDICES do conflito.
3) Quebra da expectativa.
4) Explode o CONFLITO (principal característica).
5) Busca-se a SOLUÇÃO do conflito.
6) O conflito pode ou não ser solucionado—as personagens resolvem ou tentam resolver o conflito.
7) A partir da “solução”do conflito, conhece-se a INTENÇÃO do narrador.

MERO RELATO

1) Cria-se uma expectativa sem objetivo definido.
2) Surgem ou não índices do conflito.
3) A expectativa se mantém ou é substituída por outra.
4) Ausência de conflito: o conflito não surge, ou é simplesmente insinuado.
5) Os fatos e as caracterizações se acumulam inexpressivamente.
6) Já que não há conflito, qualquer final—pretensa solução—pode ser apresentado como fecho para o texto.
7) Não se sabe com que intenção a “história” foi relatada.

Numere os parágrafos a seguir, identificando o tipo de redação apresentado. Grife os elementos que ajudem a comprovar cada tipologia:
1) descrição 2) narração 3) dissertação

( ) Acreditamos firmemente que só o esforço conjunto de toda a nação brasileira conseguirá vencer os gravíssimos problemas econômicos, por todos há muito conhecidos. Quaisquer medidas econômicas, por si só, não são capazes de alterar a realidade, se as autoridades que as elaboram não contarem com o apoio da opinião pública, em meio a uma comunidade de cidadãos conscientes.

( ) Nas proximidades deste pequeno vilarejo, existe uma chácara de beleza incalculável. Ao centro avista-se um lago de águas cristalinas. Através delas, vemos a dança rodopiante dos pequenos peixes. Em volta deste lago pairam, imponentes, árvores seculares que parecem testemunhas vivas de tantas histórias que se sucederam pelas gerações. A relva, brilhando ao sol, estende-se por todo aquele local, imprimindo à paisagem um clima de tranqüilidade e aconchego.

( ) As crianças sabiam que a presença daquele cachorro vira-lata em seu apartamento seria alvo da mais rigorosa censura de sua mãe. Não tinha qualquer cabimento: um apartamento tão pequeno que mal acolhia Álvaro, Alberto e Anita, além de seus pais, ainda tinha de dar abrigo a um cãozinho! Os meninos esconderam o animal em um armário próximo ao corredor e ficaram sentados na sala à espera dos acontecimentos. No fim da tarde a mãe chegou do trabalho. Não tardou em descobrir o intruso e a expulsá-lo, sob os olhares aflitos de seus filhos.

( ) Joaquim trabalhava em um escritório que ficava no 12º andar de um edifício da Avenida Paulista. De lá avistava todos os dias a movimentação incessante dos transeuntes, os freqüentes congestionamentos dos automóveis e a beleza das arrojadas construções que se sucediam do outro lado da avenida. Estes prédios moderníssimos alternavam-se com majestosas mansões antigas. O presente e o passado ali se combinavam e, contemplando aquelas mansões, podia-se, por alto, imaginar o que fora, nos tempos de outrora, a paisagem desta mesma avenida, hoje tão modificada pela ação do progresso.

( ) Dizem as pessoas ligadas ao estudo da Ecologia que são incalculáveis os danos que o homem vem causando ao meio ambiente. O desmatamento de grandes extensões de terra, transformando-as em verdadeiras regiões desérticas, os efeitos nocivos da poluição e a matança indiscriminada de muitas espécies são apenas alguns dos aspectos a serem mencionados. Os que se preocupam com a sobrevivência e o bem-estar das futuras gerações temem que a ambição desmedida do homem acabe por tornar esta terra inabitável.

( ) O candidato à vaga de administrador entrou no escritório onde iria ser entrevistado. Ele se sentia inseguro, apesar de ter um bom currículo, mas sempre se sentia assim quando estava por ser testado. O dono da firma entrou, sentou-se com ar de extrema seriedade e começou a lhe fazer as perguntas mais variadas. Aquele interrogatório parecia interminável. Porém, toda aquela sensação desagradável dissipou-se quando ele foi informado de que o lugar era seu.

Fonte: http://viajando-na-lingua.blogspot.com/