Os jovens interessados em ingressar no mercado de trabalho têm encontrado no ensino técnico uma excelente opção para conseguir um emprego com mais facilidade. Afinal, há muitos cargos em que a maior exigência está no conhecimento operacional, o objetivo desses cursos.

Percebendo a grande demanda do mercado em profissionais qualificados, o Governo Federal ainda, em 2011, criou o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) com o intuito de aumentar a oferta de cursos profissionalizantes.

Frentes de atuação do Pronatec

O Pronatec atua em três frentes. A primeira é oferecendo o ensino técnico para quem está no Ensino Médio. A segunda para os adultos que buscam uma melhor formação profissional e a terceira para as pessoas cadastradas no programa Brasil sem Miséria.

Hoje são várias as opções de instituições que contam com cursos técnicos, inclusive gratuitos, como o Senai, Senac, Senar e Senat, entre outras escolas públicas e privadas. É possível realizar uma busca para encontrar todos os cursos disponíveis e as escolas mais próximas de onde você mora.

O ensino técnico, no entanto, oferece duas modalidades diferentes de curso. Existe o que realmente é chamado de técnico e o tecnólogo. Acompanhe a seguir as diferenças entre eles.

Técnico x Tecnólogo

O curso técnico tem de um ano e meio a dois anos de duração. Seu objetivo é capacitar o aluno com conhecimentos teóricos, mas principalmente práticos, de acordo com o que pede o mercado.

Para fazer um curso técnico é necessário ter terminado o Ensino Fundamental e para receber o diploma o aluno precisa ter concluído o Ensino Médio.

o tecnólogo, consiste em um curso superior. No geral, ele tem de dois a três anos e meio de duração, um pouco menos que o de licenciatura e bacharelado. Esses dois últimos garantem uma formação geral ao aluno, enquanto o outro é mais específico.

Quem já fez o técnico, pode complementar o que aprendeu com o tecnólogo, que garante um diploma de graduação. Vale lembrar que só pode se matricular quem concluiu o Ensino Médio.

Outra diferença entre as duas modalidades está no conteúdo. O técnico não conta com a mesma quantidade de disciplinas do tecnólogo, que é atualizado constantemente conforme a demanda do mercado.

Para quem interessa um curso técnico ou tecnólogo?

Além de ser uma excelente opção para quem quer ingressar rapidamente no mercado de trabalho, esses cursos podem ser também uma oportunidade de bons salários, principalmente para quem está começando. Se você se interessa pela área da construção civil, por exemplo, saiba que ela é uma das que mais vem oferecendo oportunidades. Enfermagem e tecnologia da informação são outros setores bastante prósperos.

Por tudo que já foi abordado, se você pretende ingressar no mercado de trabalho o mais rápido possível ou pretende apenas uma recolocação mercadológica, talvez seja interessante apostar em um curso técnico.

Acima você pôde constatar ainda que há diferenças entre o técnico e tecnólogo. Portanto, tudo vai depender da sua formação escolar. Pesquise os cursos, leia matérias sobre o mercado e se informe sobre os setores com maior número de ofertas de emprego. Com um foco definido será mais fácil atingir o sucesso profissional.

Ficou alguma dúvida em relação a diferença entre os cursos técnicos e tecnólogos? Aproveite os comentários abaixo para  esclarecê-las!