Medicina da UEM é o melhor do país na avaliação do MEC

Notícias — Escrito por

O curso de Medicina da Universidade Estadual de Maringá  (UEM) foi o melhor pontuado em todo o país no Conceito Preliminar de Curso (CPC), que tem como um dos indicadores a nota do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade).

Segundo o índice, divulgado ontem (17) pelo Ministério da Educação, a nota do curso foi 3,64, correspondente à faixa 4, que varia de 1 a 5. Considerando apenas o conceito do Enade a nota foi 4,71, correspondente à faixa 5.

O coordenador do curso, professor Roberto Esteves, destacou que há alguns anos Medicina da UEM tem alcançado boa colocação nas avaliações do MEC e a qualidade, segundo ele, está relacionada a alguns fatores, um deles é a seleção dos acadêmicos. “O curso é sempre o mais concorrido dentro da Instituição, já chegamos a ter mais de 300 candidatos por vaga. Isso significa que nossos alunos são muito bem selecionados”, justificou o coordenador.

O reitor Júlio Santiago Prates Filho parabenizou os alunos, o corpo docente e os agentes universitários ligados ao curso, reconhecendo que esse conceito é o resultado do esforço, dedicação e compromisso de todos.

Prates Filho também pontuou que esse resultado evidencia que a UEM está no caminho certo, sempre em busca da excelência no ensino. “Sabemos das carências e dificuldades que os cursos enfrentam, mas ainda assim conseguem atingir bons resultados”, enfatizou.

Esta edição do Enade avaliou os cursos nas áreas de saúde e agrárias. O curso de Agronomia também foi muito bem avaliado alcançando os conceitos 4,04 no CPC e 4,2 no Enade, correspondente à faixa 5 em ambos os conceitos.

A UEM teve mais quatro cursos que alcançaram as faixas 4 no CPC e no Enade. São eles Enfermagem (CPC: 3,85 e Enade: 3,94); Farmácia (CPC 3,56 e Enade 3,81), Odontologia (CPC 3,52 e Enade 3,35); Zootecnia (CPC 3,58 e Enade 3,58).

Já Educação Física ficou com o conceito 3 em ambos os conceitos, alcançando as notas 2,86 no CPC e 2,22 no Enade.

IGC

O MEC também divulgou o Índice Geral de Cursos (IGC) que abrange indicadores dos cursos de graduação e pós-graduação. Nas graduações, é utilizada a média dos Conceitos Preliminares de Curso, baseado no resultado do Enade e variáveis como qualificação do corpo docente, infraestrutura e organização didático-pedagógica.

Pelo ranking do IGC a UEM foi a segunda instituição do Paraná, ficando atrás da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e como 45ª colocada a nível de Brasil. Embora tenha perdido a primeira colocação, onde figurou por três anos consecutivos, a UEM subiu no conceito do IGC em relação a última avaliação. A Universidade alcançou 3,66 pontos, contra 3,56 no ano passado. A UFPR obteve 3,71 pontos. A faixa IGC é a mesma para as duas instituições (4).

A pró-reitora de Ensino da UEM, Ednéia Rossi, analisou como boa a posição da universidade no ranking estadual e nacional, principalmente porque apenas 8% das instituições avaliadas obtiveram conceito 4 ou 5. Para a pró-reitora, o ranking deve servir como reflexão para que a Instituição defina prioridades de investimentos.

Por: UEM

Tags: ,

Comente