O Exame Nacional do Ensino Médio bate recordes a cada edição. Os números do Enem traduzem seu amadurecimento e mostram como o maior Exame do país tem interessado, cada vez mais, a estudantes que pretendem ingressar no ensino superior.

Para que você conheça as proporções que o Exame atinge, confira alguns dados numéricos sobre o assunto:

Número de Inscrições

Desde 2009, o novo modelo do Enem é aplicado anualmente. Só no ano de 2013, foram 7.173.574 inscritos em todo o Brasil, ou seja, um número 24% maior do que o do ano anterior, que registrou 5.971.290 inscrições confirmadas, superando até mesmo as previsões do Ministério da Educação (MEC).

Entre os inscritos, a menor parte pagou a taxa de R$ 35, totalizando 1.925.581 pessoas. Já os isentos, constituíram o grande bloco de alunos que se inscreveram no Enem, somando 5.247.993 candidatos com o benefício. Desses, a maioria, que contabiliza 3.932.487 pessoas, recebeu o benefício do governo por ter renda familiar de até um salário mínimo e meio, enquanto os 1.311.506 restantes tiveram isenção da taxa de inscrição automaticamente por cursarem o último ano do ensino médio em escolas públicas.

Muitos estudantes que quiseram fazer o Enem 2013 tiveram que correr para não perder o prazo de inscrição. Apenas no último dia, o sistema registrou mais de 1,7 milhão de pessoas, chegando a 3 mil inscrições por minuto.

Proporcionalmente à população local, o estado com mais inscritos no Enem de 2013 foi o Acre, contabilizando 79 participantes a cada mil habitantes, enquanto o que menos teve inscritos foi Santa Catarina, com 20 candidatos a cada mil habitantes.

Quantidade de abstenções

A quantidade de inscritos no Enem cresce continuamente. Por outro lado, nem todos chegam a comparecer no dia da prova, aumentando também o número de abstenções. Segundo o MEC, dos 7,1 milhões que se inscreveram em 2013, mais de 2 milhões não fizeram a prova, gerando um índice de abstenção de, aproximadamente, 29%. Em 2012 esse índice foi um pouco menor, cerca de 27%, quando 1,6 milhão de inscritos faltaram ao exame.

O maior número de faltosos, no entanto, foi em 2009, principalmente devido à remarcação do Enem depois da confusão gerada com o vazamento da prova. Na ocasião, 37,7% dos inscritos não compareceram no dia do Exame. Já em 2010, a média de faltas foi de 28% e, em 2011, 26,4%.

As abstenções também representam prejuízo para o governo, estimado em R$ 103 milhões este ano, com base no custo por candidato.

Os dados de logística para o Enem

Para que um exame desse porte ocorresse com tranquilidade e eficiência, os números da logística também tiveram que ser altos. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), em 2013 foram impressas 15,7 milhões de provas, distribuídas em 1.661 municípios, totalizando 15.576 locais de aplicação do Exame. Em 2012, foram 12,7 milhões de provas, 1.615 municípios participantes e 15.076 locais de realização do Enem.

A equipe também foi grande para a realização da maior edição do Enem até hoje: mais de 650 mil pessoas trabalharam na aplicação do Exame, entre coordenadores, chefes de sala, fiscais e pessoal de apoio.

Métricas das eliminações

O número total de candidatos expulsos do Enem 2013 foi de 36 pessoas. Esses estudantes foram eliminados por terem postado fotos dos cadernos de prova e dos cartões-resposta em redes sociais. Em 2011, apenas 3 alunos foram expulsos por uso de equipamento eletrônico. Nesse mesmo ano, foi descoberto o vazamento de 14 questões do Exame, ocasionando o indiciamento de cinco pessoas.

Volume de presidiários participantes do Enem

A quantidade de penitenciários que se inscreveram no Enem 2013 também aumentou. Em relação a 2012, esse número subiu 55,7% e, se comparado a 2010, ele é 173% maior. Para esse grupo, as data de realização das provas são outras.

O acesso à educação para presos, no Brasil, é assegurado pela Lei de Execução Penal (LEP), e a abrangência do Enem parece estar se tornando ainda maior nesse sentido. A maior parte dos internos inscritos busca, por meio do Exame, a certificação do ensino médio. Em 2013, dos 23.665 inscritos, 17.945 tinham esse objetivo.

Médias do Enem

De acordo com o MEC, o melhor desempenho entre os alunos concluintes do ensino médio que fizeram o Enem em 2012 foi em matemática, com o registro de uma média de 533,43 pontos. Na sequência, está ciências humanas, com a média de 533,18; redação, com 529,14; linguagens, com 502,52; e ciências da natureza, com 486,28.

A previsão é que o resultado da edição de 2013 saia em janeiro, quando serão publicados novos números do Enem.