Por: Alessandra Lemes Prado

Durante a fase da escolha da carreira, é muito comum ouvir algumas pessoas dizer que precisam escolher uma profissão que goste, que tenha a ver com sua personalidade. Mas como escolher uma profissão que seja compatível com sua personalidade? O que é mesmo personalidade?

Bom, em primeiro lugar vamos tentar decifrar este conceito. Personalidade pode ser definida como um conjunto de características próprias. Essas características se desenvolvem a partir da nossa história de vida, de nossa convivência social e da herança genética que recebemos de nossos pais. Ou seja, se é construída a partir de nossa história de vida, podemos concluir que nossa personalidade é dinâmica e está em constante desenvolvimento, pois à medida que interagimos com o outro, aprendemos coisas novas e incorporamos esse conhecimento ao nosso cotidiano.

É importante compreender que nossas características causam impressão no outro, e que o feedback proporcionado por essa interação pode alterar nossa auto-percepção. Por exemplo, quando sou percebida por um amigo como uma pessoa comunicativa e esse conceito é importante para mim, este estímulo pode se tornar reforçador para que eu continue a me comportar de forma semelhante.

E o contrário também pode ocorrer: se sou percebida como antipática ou arrogante em determinada situação, posso aproveitar para prestar mais atenção nos momentos em que isso acontece e tentar alterá-lo.

As características mais comuns encontradas em nosso cotidiano se referem à percepção que temos do outro. Normalmente nos referimos às pessoas como comunicativas, frias, românticas, passivas, expansivas, agressivas, tímidas, contidas, amáveis, alegres, introvertidas etc. Criamos formas de classificá-las de acordo com nossa percepção.

Você pode estar se perguntando como as características de personalidade podem influenciar na escolha da sua profissão. Eu diria que pode alterar muita coisa. Imagine uma pessoa muito comunicativa, extrovertida e que goste de estar com pessoas, trabalhando com pesquisa científica dentro de um laboratório fechado durante o dia inteiro. Parece tedioso, não? Agora imagine uma pessoa tímida trabalhando com negócios ou organização de eventos. Pra algumas pessoas, certas atividades podem parecer uma tortura.

Acredito que podemos encontrar compatibilidade entre nossas características pessoais e a atividade profissional que exerceremos. Quando isso acontece, o trabalho pode se tornar uma fonte de prazer intrínseca e nos estimular a continuar motivados e produzindo mais a cada dia. Pesquisar sobre as profissões pode nos oferecer pistas preciosas sobre algumas características pessoais necessárias para exercer determinada função.

Sabemos que artistas precisam ser criativos, apreciam as diversas formas de expressão artística, têm habilidades para se relacionarem socialmente e se expressam com facilidade. Mas os tempos mudam e as exigências profissionais também.

É preciso considerar essas mudanças. Imagino que um artista hoje precise ser muito mais empreendedor e persuasivo do que há alguns anos, quando o mercado estava em expansão e a oferta de emprego era maior. Isso acontece com todas as profissões.