Por: Por trás das Letras

Infinitivo impessoal
O verbo no infinitivo impessoal não é flexionado, é a forma como ele é encontrado no dicionário: amar, bater, partir.
É usado nas locuções verbais, quando há verbos que equivalem a um único verbo.
Exemplos: Eles podem falar equivale a “Eles falam”.
Único sujeito para os dois verbos.
Podem: verbo auxiliar que é flexionado conforme o sujeito (no exem¬plo, sujeito = eles).
Falar: verbo não flexionado, está no infinitivo impessoal.
Infinitivo impessoal expressa o processo verbal de modo vago, geral.
Exemplos: A maior virtude é ser honesto. / É proibido fumar neste recinto.

Infinitivo pessoal (flexionado)
Exemplo de conjugação de infinitivo pessoal:
Para eu amar
Para tu amares
Para ele amar
Para nós amarmos
Para vós amardes
Para eles amarem

Cuidado! Nos verbos regulares, a conjugação do futuro do subjuntivo é idêntica ao do infinitivo pessoal.
O infinitivo pessoal flexiona conforme o sujeito.
É usado nas orações reduzidas de infinitivo (aquelas que não são introduzidas por conjunção ou locução conjuntiva).
O infinitivo pessoal aparece sem outro verbo, concordando com a pessoa da oração. Exemplos:
1) Ele fez tudo para eu reclamar – infinitivo pessoal (reclamar)
2) Fez tudo para tu reclamares – infinitivo pessoal (reclamares)

Não esqueça:
Oração subordinada adverbial final reduzida de infinitivo.
Reduzida porque não há conjunção ou locução conjuntiva.
Infinitivo: verbo flexionado de acordo com o sujeito.
Poderíamos compor a oração com uma conjunção ou locução conjuntiva; tería¬mos, então, mudanças na conjugação verbal.
Exemplo: Fiz tudo para que tu reclamasses.
PARA QUE: locução conjuntiva
Nesse exemplo não temos oração reduzida porque o verbo não está na forma nominal.(infinitivo, gerúndio e particípio).

Regras do Emprego do Infinitivo Impessoal
Emprega-se o Infinitivo Impessoal:
REGRA 1: nas locuções verbais, com um só sujeito, precedido do verbo auxiliar.
Exemplo: Devemos fazer nosso trabalho corretamente.
Locução verbal: devemos (auxiliar) e fazer (principal)
REGRA 2: se a oração reduzida iniciar-se por preposição e o sujeito for o mesmo da oração principal, será facultativa a flexão do infinitivo. t
Exemplo: Eles vieram (oração principal) para trabalhar.(oração reduzida)
REGRA 3: verbos causativos (causa que vai provocar conseqüência) — mandar, deixar, fazer e sensitivos — ouvir, sentir — não formam locução verbal (pois há um sujeito para esses verbos e outro sujeito para o verbo no infinitivo).
Exemplo: Eu os fiz entrar. (causa = fazer/ conseqüência = entrar). EU – sujeito de fiz; OS – sujeito de entrar.
a) Se o sujeito vier antes do verbo no infinitivo, a flexão do infinitivo é obrigatória.
Eu mandei os alunos estudarem.
EU: sujeito de “mandei”.
ALUNOS: sujeito de “estudarem”, antes do verbo.
b) Se o sujeito aparecer depois do Infinitivo, sua flexão é facultativa.
Exemplo: Eu mandei estudar (ou estudarem) os alunos.
EU: sujeito do
c) Se o sujeito do verbo no infinitivo for um pronome oblíquo átono, a flexão é proibida.
Pronome oblíquo átono: o(s), a(s), nos, vos.
Exemplo: Ele mandou-nos estudar.
d) Caso o Infinitivo seja pronominal ou se exprimir reciprocidade ou reflexibilidade de ação, sua flexão é obrigatória.
Exemplo: Vi os advogados cumprimentarem-se.
e) Com os verbos sensitivos (ver, ouvir, sentir) e causativos (mandar, fazer, dei¬xar), o normal é aparecer o infinitivo antes de seu sujeito (sendo facultativo a flexão do verbo. (Rever regra 3, letra b)
Exemplo: Ouvi entrar (em) os clientes e não deixei sair(em) os funcionários.

REGRA 4: verbo parecer mais outro verbo no Infinitivo. O verbo parecer admite duas construções:
a) O infinitivo é flexionado, porque não se flexionou o verbo parecer. Exemplo: As estrelas parece brilharem.
b) O Infinitivo não é flexionado, pois se flexionou o verbo parecer.
Exemplo: As estrelas parecem brilhar.
O verbo parecer é o auxiliar e o outro verbo, na oração, é o verbo principal (no caso, verbo brilhar)
REGRA 5: quando o Infinitivo vier regido de preposição e aparecer em construções com adjetivos como: fácil, difícil, bom, ruim, gostoso, não deve ser flexionado.
Exemplo: Tarefas difíceis de fazer.
Obs.: quando o infinitivo regido da preposição DE equivaler a um adjetivo, não deverá, também, ser flexionado.
Exemplo: Os depoimentos são comprometer

REGRA 6: quando o infinitivo vier precedido da preposição A, equivalerá a um verbo no gerúndio e NÃO deverá ser flexionado.
Exemplo: Ele está a ler. (Ele está lendo.)

REGRA 7: Quando o Infinitivo equivale a um Imperativo, NÃO se flexiona.
Exemplo: Passar bem, cavalheiros — disse o advogado, saindo da sala.

Regras do emprego do infinitivo pessoal
Não existem normas rígidas para o emprego do infinitivo pessoal. É conveniente empregá-lo nos seguintes casos principais:

REGRA 1: Se o Infinitivo tem sujeito próprio-> Infinitivo flexionado
Exemplo: Dr. Pedro pensa estarmos contentes.

REGRA 2: Se o Infinitivo, tendo sujeito no plural, vem no início da frase regido ou não de preposição -> Infinitivo flexionado
Exemplo: Passarmos no concurso é nossa obrigação.
Para obterem um favor do governo, todos deverão trabalhar muito.

REGRA 3: Se o Infinitivo regido de preposição aparecer posposto ao verbo principal ->flexão facultativa
Exemplo: Torçam para encontrar / encontrarem um bom advogado.

Obs.: se o verbo no infinitivo, regido de preposição, for pronominal ou se ele exprimir reciprocidade ou reflexibilidade de ação, a flexão será obrigatória (será usado no plural).
Exemplo: Entrem se entenderem melhor!
Com verbo pronominal (verbo que vem conjugado com um pronome oblíquo: me, te, se, nos, vos) ->Infinitivo flexionado
Exemplo: Fizemos de tudo para nos informarmos do ocorrido naquela noite.
Com verbo exprimindo reciprocidade (ação trocada entre os elementos que com¬põem o sujeito) ->Infinitivo flexionado
Exemplo: Elas fizeram de tudo para se cumprimentarem.
Com verbo exprimindo reflexibilidade (indica que o sujeito pratica e recebe a ação verbal) -> Infinitivo flexionado
Exemplo: Entrem para se vestirem com suas togas.
(= vestirem a si mesmos, a si próprios)

REGRA 4: Quando o Infinitivo vier precedido da combinação da preposição ~ mais artigo 2 (= ao), deverá ser flexionado.
Exemplo: Ao entrarmos no escritório, encontramos um amigo.
Ao chegarmos, encontramos tudo organizado.

REGRA 5: quando o sujeito do infinitivo é indeterminado, o infinitivo deverá ser flexionado (colocado sempre na 3.ª pessoa do plural).
Exemplo: Faço isso para não me julgarem culpado.