Sim, é verdade verdadeira: o Enem vai finalmente ganhar uma versão digital.

A exemplo do que já ocorre nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, o principal exame de avaliação do ensino médio vai poder ser feito pelo computador.

A primeira edição será colocada em prática em 2020, e partir daí vai se ampliando até se tornar totalmente digital daqui a alguns poucos anos.

Você já tem ideia de como vai funcionar?

A seguir, descubra como se inscrever para fazer as provas digitais do Enem!

Como se inscrever para a prova digital do Enem

Inscrever-se para fazer a prova digital do Enem é simples, mas, por enquanto, o formato não estará disponível para todos os interessados.

Para participar é preciso se manter alerta. Em maio o processo de inscrição vai abrir para todo mundo que quiser prestar o exame.

Os candidatos devem entrar no site oficial, informar número de CPF, data de nascimento e responder a todas as perguntas no sistema.

Em algum ponto do processo de inscrição pode aparecer a opção de fazer o Enem digital.

Mas por que “pode aparecer”? A opção não estará disponível para todo mundo?

Bom, a verdade é que, por ora, a opção estará disponível apenas para moradores de algumas cidades e em número reduzido de vagas.

Por ser novidade, o Ministério da Educação (MEC) deve implementar o Enem digital aos poucos.

Se você está realmente decidido a fazer a prova nesse formato, tente se adiantar o máximo possível – de preferência assim que as inscrições abrirem – já que as vagas devem se esgotar rápido.

O valor da inscrição do Enem digital será o mesmo do Enem tradicional.

Quando acontece o Enem digital

Pelo menos nas primeiras edições, o Enem digital será aplicado em dias diferentes do Enem tradicional.

A estreia acontece em 2020.

As provas do Enem digital serão aplicadas em dois fins de semana seguidos do mês de outubro, na mesma ordem dos exames tradicionais:

  • Primeiro domingo – provas de Redação, Linguagens e Códigos e Ciências Humanas.
  • Segundo domingo – provas de Matemática e Ciências da Natureza.

Cada prova objetiva tem 45 questões de múltipla escolha. A redação deve ter o mesmo formato da prova tradicional. O tempo que os candidatos terão é o mesmo: cinco horas e meia no primeiro dia e cinco horas no segundo.

As questões devem ser respondidas nos computadores instalados em laboratórios de informática das escolas participantes. O texto da redação também é feito na tela – e o participante não tem que se preocupar com rascunho.

As provas digitais têm versões diferentes uma das outras, igual já acontece no Enem tradicional, que tem quatro cadernos de prova distintos.

Depois que fizer tudo, os candidatos devem preencher cuidadosamente o gabarito e, depois, clicar em enviar.

Depois, é só esperar os resultados.

Onde fazer a prova do Enem digital

A princípio o Enem digital estará disponível em apenas algumas cidades.

São estas, por enquanto:

  • Belém – PA
  • Belo Horizonte – MG
  • Brasília – DF
  • Campo Grande – MS
  • Cuiabá – MT
  • Curitiba – PR
  • Florianópolis – SC
  • Goiânia – GO
  • João Pessoa – PB
  • Manaus – AM
  • Porto Alegre – RS
  • Recife – PE
  • Rio de Janeiro – RJ
  • São Paulo – SP

A tendência é organização do Enem vá ampliando o número de cidades atendidas ao longo dos próximos anos, até alcançar o maior número de municípios possível. Em 2026, o governo quer que todo o Enem seja feito digitalmente, e em várias edições ao longo do ano.

Quando sai o resultado do Enem digital

Por mais que o meio digital permita fazer tudo com mais agilidade, os resultados do Enem digital só devem sair em janeiro, junto com os do Enem tradicional.

O motivo para isso é, principalmente, porque os avaliadores precisam corrigir as redações uma a uma, manualmente, e os supercomputadores precisam conferir os gabaritos várias e várias vezes, para garantir a nota adequada a cada candidato.

O resultado pode ser conferido no site oficial do Enem, em janeiro, depois que as datas forem anunciadas.

Com o resultado em mãos, os candidatos podem investir nos processos seletivos que levam ao ensino superior.

Vamos ver melhor essa história.

Como entrar na faculdade com a prova do Enem digital

O Enem digital abre muitos caminhos para quem quer fazer um curso superior.

Dá para usar as notas em todos os programas e processos seletivos que usam a nota do exame como critério de classificação.

Por exemplo:

  • Estudar em uma universidade pública ou em um instituto federal de educação por meio do Sisu. Aqui só é preciso ter nota acima de zero na redação do Enem mais recente para participar da seleção – uma das mais concorridas do país. Leva a vaga quem tiver as notas mais altas.
  • Ganhar bolsa de estudos do ProUni para fazer uma faculdade privada. Para concorrer basta ter feito o Enem e obtido nota acima de 450 na média das provas e acima de zero na redação. O programa é destinado a alunos de baixa renda que concluíram o ensino médio em escolas públicas.
  • Financiar os estudos com apoio do governo federal, o que significa obter crédito a juros baixos e prazo generoso para pagamento da dívida. Isso é possível com o FIES. Basta usar a nota do Enem (o digital ou qualquer outra edição a partir de 2010) e atender ao critério de renda.
  • Ingresso direto – Dá para usar a nota do Enem digital para entrar automaticamente em faculdades privadas por todo o país: basta apresentar a pontuação obtida e correr para fazer a matrícula.

Todos os programas citados acima acontecem duas vezes ao ano – no início dos semestre letivos – e distribuem vagas em cursos de todas as áreas.

Em todos é possível encontrar vagas em faculdades bem avaliadas pelo MEC, que têm boa qualidade de ensino e aceitação junto ao mercado de trabalho.

A gente tem algumas boas faculdades onde você pode entrar por meio do ProUni, FIES ou ingresso direto.

Conheça:

Veja também:

Veja quantas questões tem que acertar no Enem para tirar 700

Está pensando em fazer o Enem digital? Quais são suas expectativas? Conte para a gente!