Quantas questões tem a prova do Enem? Descubra

Enem — Escrito por

Cento e oitenta. Isso mesmo. O Exame Nacional do Ensino Médio, o famoso Enem, tem nada menos que 180 questões, mais uma redação.

Mas antes que você se assuste com o número e saia correndo, a gente vai dar uma tranquilizada geral.

O Enem acontece em dois dias, portanto a maratona de provas é um pouco menos tensa do que parece.

Entenda a seguir quantas questões tem cada prova, como funciona a correção e por que o Enem é assim tão importante para o estudante brasileiro. Ao final, vamos apresentar uma lista com boas faculdades que aceitam a nota do exame.

Por que o Enem tem tantas questões?

Se você tiver um parente ou amigo mais velho que fez o Enem antes de 2009, pode perguntar para ele como foi – e talvez ouça um “Ah, na minha época era bem mais fácil”.

E era mesmo! De 1998 e 2008, o Enem tinha menos da metade das questões que tem hoje. O exame era estruturado de uma forma completamente diferente: testava 21 habilidades, com 3 questões cada. Ou seja, tinha apenas 63 questões, mais uma redação.

Na época, os enemzeiros faziam a prova em um só dia e tinham cinco horas para resolver as 63 questões e fazer a redação. Praticamente um passeio perto do que o exame é hoje (são quatro horas para resolver 90 questões, só para você ter uma ideia).

Em 2009, veio uma reforma geral no Enem. A prova passou a avaliar, em vez das tais 21 habilidades, quatro áreas do conhecimento:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
  • Matemática e suas Tecnologias

Basicamente, o que aconteceu foi que todas as disciplinas do ensino médio foram parar dentro dessas quatro áreas – vamos falar delas mais adiante.

A redação permaneceu, mas a prova como um todo ficou mais robusta e passou a ter características de grandes exames internacionais que acontecem anualmente e precisam manter o mesmo padrão de dificuldade em todas as edições.

E foi essa revolução no modelo do exame que provocou o aumento do número de questões. Veja a seguir como elas estão distribuídas.

Quantas questões tem cada prova do Enem?

As questões do Enem estão distribuídas igualmente entre as quatro áreas do conhecimento. O esquema é o seguinte:

Matemática e suas Tecnologias é a área mais fácil de sacar: aqui só tem Matemática mesmo, 45 questões.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias apresenta 45 questões de Biologia, Física e Química.

Ciências Humanas e suas Tecnologias tem 45 questões envolvendo: História, Filosofia, Geografia e Sociologia.

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias também tem 45 questões, mas abrange um número ligeiramente maior de assuntos: Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol, o participante escolhe quando se inscreve no Enem), Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação.

Agora, se você perguntar quantas questões caem de cada um dos assuntos que compõem as áreas do conhecimento, a resposta fica um tantinho mais complexa. Fora Matemática, que tem 45 questões, e Língua Estrangeira, que tem sempre 5 questões, não dá para saber exatamente quantas questões de História, Biologia ou Artes vão cair no Enem.

Essa dificuldade acontece, principalmente, por que o Enem adora as chamadas questões multidisciplinares, que, como o nome indica, misturam mais de uma disciplina. Tem pergunta de Biologia misturada com Filosofia (tratando de bioética, por exemplo), tem Artes com Língua Portuguesa e História (um clássico é apresentar uma música, quadro ou trecho da literatura como pano de fundo para tratar de um tema histórico, exigindo interpretação de texto).

Quanto vale cada questão do Enem?

Essa pergunta, infelizmente, nem os organizadores do Enem sabem responder. É que o exame tem um sistema de correção tão complexo, que só dá para saber quantos pontos uma questão vale depois que todas as provas foram corrigidas. E mais: a pontuação de cada questão varia entre os participantes.

A redação, por sua vez, vale de 0 a 1.000 pontos.

Como é feita a correção do Enem?

Vamos começar pela correção da redação, que é feita de forma manual. Cada um dos milhões de textos é corrigido por pelo menos dois professores, que não se comunicam durante o processo.

Eles avaliam cinco competências, valendo 200 pontos cada. Se a diferença entre as notas for muito grande, a redação vai para uma terceira rodada de correção, e assim por diante, até que se chegue a um acordo quanto à nota daquele participante.

Já as provas objetivas são corrigidas eletronicamente, a partir da folha de respostas que o participante entrega ao fiscal de sala (o Enem não corrige os cadernos de prova nem rascunhos).

É nas provas objetivas que se aplica a Teoria de Resposta ao Item (TRI), o sistema de correção do Enem. O modelo identifica o nível de conhecimento de cada participante, sua coerência ao acertar as respostas fáceis, médias e difíceis e (acredite!) consegue até identificar chutes.

O que fazer com a nota do Enem?

Não é à toa que o Enem está “na boca do povo”, como se diz. Com a nota do exame é possível:

  • Concorrer a uma vaga em universidade pública.
  • Disputar bolsa de estudos e financiamentos bancados pelo governo federal.
  • Entrar direto na faculdade privada sem precisar fazer vestibular.

Onde estudar com a nota do Enem?

São centenas e centenas de faculdades espalhadas pelo Brasil inteiro que aceitam a nota do Enem.

Se você tem planos de usar a nota do exame para conquistar o sonho de fazer um curso superior, fique de olho na lista que preparamos a seguir. Nela estão faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo Ministério da Educação (MEC) que oferecem cursos em todas as áreas do conhecimento. E o melhor: todas elas têm benefícios como bolsas de estudos, convênios, descontos e financiamentos sem burocracia.

Dê uma olhada:

 

Veja também:

O que posso fazer com a nota do Enem?

Vai usar o Enem para entrar na faculdade? Qual? Conte para a gente aqui nos comentários!

Comente