Veja quanto precisa tirar no Enem 2019 para conseguir o Fies

Fies — Escrito por

Saiba quantos pontos é necessário obter no Enem para conseguir o financiamento estudantil do governo federal.

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) foi criado pelo governo federal no começo dos anos 2000 para ajudar estudantes que não têm condições de pagar as mensalidades de universidades particulares. O crédito é oferecido com juros zero ou bem abaixo dos que são praticados pelo mercado. 

Você fez o Enem 2019 e gostaria de saber quanto precisa tirar para conseguir o FIES no próximo processo seletivo? Confira todos os detalhes abaixo.

Nota mínima para se inscrever no FIES

Para se candidatar ao FIES, é preciso ter feito uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, quando o exame passou a ter o formato atual, com 180 questões e uma prova de Redação. 

Também é exigido um desempenho mínimo para efetuar inscrição: pelo menos 450 na média das provas que compõem o Enem e nota acima de zero na Redação.

Nota de corte no Enem por curso

De acordo com o curso e a instituição em que o candidato pretende estudar, a concorrência pode ser bem apertada. Como as vagas do FIES são limitadas, os estudantes são classificados de acordo com suas notas no Enem.

As notas mínimas para conseguir o FIES variam de um ano para o outro e dependem do desempenho apresentado por todos aqueles que concorrem nas mesmas opções (curso de graduação, turno e instituição). 

De qualquer forma, olhar para as notas de corte dos anos anteriores ajuda a ter uma ideia da quantidade necessária de pontos. 

Normalmente, as pontuações mínimas para o FIES são menores do que as exigidas em outros programas federais, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni).

Listamos abaixo a média das notas de corte do FIES para os cursos de graduação mais procurados pelos estudantes brasileiros, com dados baseados nas últimas edições do programa. 

Mas tenha em mente que as notas chegam a variar mais de 100 pontos (para cima ou para baixo), conforme a cidade, o turno e a universidade escolhidos. Confira:

  • Administração: 543
  • Agronomia: 566
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas: 545
  • Arquitetura e Urbanismo: 596
  • Audiovisual: 561
  • Biblioteconomia: 613
  • Biomedicina: 564
  • Ciências Biológicas: 565
  • Ciências Contábeis: 547
  • Ciência da Computação: 562
  • Ciências Sociais: 609
  • Design: 579
  • Direito: 606
  • Economia: 600
  • Educação Física: 534
  • Enfermagem: 555
  • Engenharia Civil: 577
  • Engenharia da Computação: 580
  • Engenharia de Produção: 556
  • Engenharia Elétrica: 570
  • Engenharia Mecânica: 582
  • Engenharia Química: 591
  • Farmácia: 554
  • Filosofia: 543
  • Física: 564
  • Fisioterapia: 560
  • Fonoaudiologia: 552
  • Gastronomia: 554
  • Geografia: 555
  • Gestão de Recursos Humanos: 518
  • História: 565
  • Jornalismo: 569
  • Letras: 592
  • Logística: 512
  • Marketing: 530
  • Matemática: 537
  • Medicina: 754
  • Medicina Veterinária: 605
  • Nutrição: 557
  • Odontologia: 621
  • Pedagogia: 548
  • Psicologia: 569
  • Publicidade e Propaganda: 564
  • Química: 559
  • Radiologia: 531
  • Serviço Social: 519
  • Sistemas de Informação: 535
  • Turismo: 518
  • Zootecnia: 546

Modalidades e critérios socioeconômicos do FIES

Em 2018, o FIES teve algumas mudanças e passou a ser conhecido como “Novo FIES”. Hoje, o programa trabalha com duas modalidades e ambas exigem que o candidato comprove uma determinada renda familiar para obter financiamento. 

Conheça as modalidades atuais do FIES e os limites de renda exigidos:

Modalidade FIES, que corresponde à maioria dos contratos. Podem se candidatar os estudantes com renda familiar de até 3 salários mínimos por pessoa. 

Nesse caso, os selecionados têm as mensalidades da graduação financiadas a juros zero e o contrato é assinado na Caixa Econômica Federal.

Modalidade P-FIES, para estudantes com renda familiar entre 3 e 5 salários mínimos por pessoa. O financiamento é firmado com bancos privados e são eles que definem as condições do contrato (modo de pagamento, juros etc.). 

Lembrando que as inscrições para o FIES são abertas duas vezes por ano (no começo do primeiro e do segundo semestres) e devem ser feitas no site do programa, dentro do portal do Ministério da Educação (MEC).

Faculdades que aceitam o FIES e oferecem bolsas de estudos

Apenas instituições credenciadas pelo MEC e com bons conceitos nas avaliações oficiais podem trabalhar com o FIES. 

Com a recessão econômica, conseguir o FIES ficou mais difícil do que nos primeiros anos do programa. Interessados em cursos de áreas prioritárias, como Educação e Saúde, têm mais chances de obter esse financiamento.

Uma alternativa é participar dos programas de bolsas das próprias universidades ou negociar um desconto no momento da matrícula.

Conheça algumas instituições de ensino reconhecidas pelo MEC que, além de estarem habilitadas para trabalhar com os programas federais, mantêm sistemas próprios de descontos e bolsas de estudos:

Para saber mais, basta clicar nos links acima e navegar pelos sites das universidades.

Leia também:

Descubra como e onde consultar a sua nota do Enem

Saiba o que mais você pode fazer com a nota do Enem

Você pretende usar sua nota do Enem para se candidatar ao FIES? Que curso de graduação gostaria de fazer? Conte para a gente nos comentários!

Comente