Saiba quantos pontos vale cada questão do Enem

Enem — Escrito por

O Enem tem exatamente 180 questões objetivas e uma redação.

É prova que não acaba mais, numa maratona que dura dois domingos seguidos.

Quem se prepara o ano inteiro (às vezes por anos a fio) tem um só objetivo: se dar bem no exame para garantir um futuro melhor, que inclui conquistar um diploma universitário.

Mas o que significa se dar bem no Enem? Quantos pontos é possível atingir em cada prova? Quanto vale cada questão do exame?

Descubra tudo isso agora mesmo!

Como é organizado o Enem

Antes de falarmos sobre a pontuação das provas, vamos relembrar como o Enem está organizado.

As 180 questões objetivas abrangem o conteúdo dos três anos do ensino médio e incluem todas aquelas matérias que estamos acostumados a ver em livros e apostilas: Português, Literatura, Gramática, Matemática, Geografia, Biologia, História, Física, Química, Artes e por aí vai.

Acontece que o Enem trabalha com áreas do conhecimento, nas quais cada questão pode envolver mais de uma disciplina.

A divisão do Enem é assim:

  • 45 questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
  • 45 questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias
  • 45 questões de Matemática e suas Tecnologias
  • 45 questões de Ciências da Natureza e suas Tecnologias

E tem ainda a Redação, que é corrigida de forma diferente. Sobre ela, vamos falar mais adiante.

Como são corrigidas as provas do Enem

Agora que sabemos como o Enem está organizado, vamos entender como são corrigidas as provas.

Em primeiro lugar, é importante saber que os cadernos e prova, onde estão as questões e suas alternativas, não são corrigidos. Inclusive, dependendo da hora que sair da sala o candidato pode até levar o caderno de prova para casa.

O que vale para a correção do Enem é o cartão de respostas, uma folha na qual o participante preenche apenas a resposta que encontrou para cada questão (A, B, C, D ou E).

Esse cartão é corrigido eletronicamente, por computadores que leem as respostas e fazem os cálculos.

E é aqui que a coisa complica – ou fica mais interessante, dependendo do ponto de vista.

As questões objetivas do Enem não têm um valor fixo definido. É isso mesmo. Enquanto não sai o resultado, a gente não tem como saber quantos pontos vale cada questão.

Agoniante, né? Mas isso tem um motivo, que a gente vai explicar agora mesmo.

O Enem usa um sistema especial para atribuir valor a cada questão, chamado Teoria de Resposta ao Item (TRI). O nome não dá muita pista de como funciona, mas trata-se de um esquema utilizado por exames importantes no mundo inteiro.

De forma bem geralzona, podemos dizer que a TRI se propõe a garantir que o grau de dificuldade do Enem seja o mesmo, independentemente da edição. E ela ainda vai além: detecta chutes (ou acertos ao acaso), consegue identificar o padrão de conhecimento de cada candidato e leva em conta o desempenho geral de todos os participantes.

É ela que faz com que dois participantes que acertaram a mesma quantidade de questões não tenham a mesma nota. E faz também com que seja impossível calcular a pontuação a partir do número de acertos.

Com a TRI, as questões são classificadas em fáceis, médias e difíceis.

Se você acerta algumas questões médias e difíceis de Matemática, por exemplo, mas erra todas mais fáceis, o sistema consegue saber que você não foi coerente em seu desempenho. Vai entender que você acertou as médias e difíceis “por acaso” (o famoso chute) e vai dar menos pontos para elas. Por outro lado, se você acertar todas as fáceis, uma ou outra média e nenhuma difícil, a TRI vai entender que você foi coerente em seu desempenho e que suas respostas estão de acordo com o seu grau de conhecimento daquela matéria.

Outra coisa: questões que ninguém acerta acabam valendo mais pontos!

Tá, mas não dá nem pra ter uma ideia? Quanto dá para tirar numa prova do Enem?

A gente responde com dados recentes de notas mínimas e máximas no Exame. Elas variam a cada ano, por isso vamos aqui fazer uma média.

Para cada uma das provas objetivas, as notas mínimas ficam em pouco mais de 300 pontos, dificilmente chegam a 400. As médias se situam na faixa dos 500 pontos. É nas máximas que encontramos as maiores variações: entre 800 e 900 pontos, geralmente. A exceção fica por conta da prova de Matemática, que já chegou a superar os 1.000 pontos. Mas é bem raro, viu?

Considerando esses dados, podemos dizer que as questões do Enem têm valor médio entre 6 e 22 pontos. Mas, como já explicamos lá em cima, cada uma delas pode ter pontuação bem inferior ou superior a esses valores, por causa da TRI.

Quantos pontos vale a redação do Enem

Deixamos a redação para explicar por último, pois ela é mais simples de entender.

A redação do Enem vale de 0 a 1.000 pontos e é corrigida manualmente por avaliadores especializados. Eles consideram cinco critérios de correção, cada um valendo 200 pontos.

O que fazer com a nota do Enem

O Enem abre muitas portas para o ensino superior. Com o desempenho obtido no exame você pode tentar vaga em universidade pública pelo Sisu, concorrer a uma bolsa de estudos pelo ProUni, tentar um financiamento do FIES ou até entrar direto na faculdade sem fazer vestibular.

O Enem é aceito em mais de cem universidades públicas para ingresso via Sisu, que exige apenas ter feito o exame mais recente e não ter zerado na redação para se inscrever. Mas a concorrência aqui é feroz e as notas de corte dificilmente ficam abaixo de 650 pontos na média das provas.

O ProUni e o FIES são mais tranquilos de passar, mas exigem que o candidato se enquadre em mais requisitos.

O processo seletivo mais fácil mesmo é o ingresso direto, disponível em ótimas faculdades particulares por todo o Brasil.

Para ajudar sua busca, selecionamos algumas que oferecem bolsas, financiamentos, descontos e convênios variados. Todas elas são reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC e aceitam a nota do Enem para ingresso direto.

Clique e conheça:

Veja também:

Saiba tudo sobre as provas e onde ver os gabaritos do Enem

Entendeu como funciona a nota do Enem? Como você planeja usar seu desempenho no exame? Conte para a gente nos comentários!

Comente