Rio Amazonas

Geografia — Escrito por

O rio Amazonas corre pelo norte da América do Sul, em sua maior parte em território do Brasil; é o mais longo rio do mundo, uma vez que nasce no nevado Mismi, na cordilheira de Chila, nos Andes do sul do Peru, o que lhe dá uma extensão de quase 7.100 km. Esse número ainda não é preciso, pois os geógrafos não chegaram a uma conclusão a respeito de qual de dois cursos de água, ambos nascidos no mesmo Nevado, é o verdadeiro ponto de partida.
Real extensão do rio Amazonas

A real extensão do Amazonas foi estabelecida pela primeira vez pelo Instituto Geográfico Nacional do Peru, no início da década de 1980. Em 1994, uma expedição organizada pelos brasileiros Paula Saldanha e Roberto Werneck seguiu o curso do rio desde sua foz, no Atlântico, até sua nascente nos Andes, comprovando os dados dos geógrafos peruanos; e desde 1995 o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) do Brasil tem analisado fotos de satélite da região, chegando à mesma conclusão.

Mais comprido do que o rio Nilo

Uma expedição organizada em 1986 pela National Geographic Society, dos Estados Unidos, tomando como nascente o curso de água que se origina no monte Huagra, já tinha calculado a extensão do Amazonas em 7.025 km, o que seria suficiente para reconhecé-lo como mais comprido que o Nilo e o Mississippi-Missouri.

Nascente do rio amazonas

O rio nasce com o nome de Apurimac a 5.500 m de altura, no departamento peruano de Arequipa, descendo as encostas da montanha até unir-se ao Urubamba, na divisa dos departamentos de Junín e Ucayali, para formar o rio desse nome; já na região das florestas equatoriais, o Ucayali se une ao rio Marañón (perto da cidade de Nauta, no departamento de Loreto) e forma o Amazonas peruano.

Rio Amazonas no Brasil

Ao entrar em território brasileiro o Amazonas é chamado de Solimões até 30 km a leste de Manaus, onde recebe as águas do rio Negro e recupera seu nome principal.

Nos 1.900 km desde sua nascente até a planície na selva peruana, o rio realiza uma descida de 5.440 m; nos 5.200 km restantes, até o Atlântico, o desnível é de apenas 60 metros.

Os 3.700 km desde a foz até Iquitos, na Amazônia peruana, são navegáveis para navios de grande calado. Se considerados seus principais afluentes e os trechos navegáveis por embarcações menores, a bacia amazônica representa uma rede de 25.000 km de vias fluviais.

Em seu percurso, o Amazonas recebe quase 7.000 afluentes, que em conjunto ocupam uma área de quase 4 milhões de quilômetros quadrados. Os sedimentos arrastados pelas águas totalizam 800 milhões de toneladas por ano, e esses fragmentos de montanhas andinas são carregados pela correnteza até 200 km dentro do Atlântico, indo depositar-se na costa da Guiana Francesa, frente a Caiena.

A variação média da altura das águas é de 10 m, entre a estação seca e a chuvosa, mas diante de Manaus essa diferença pode ser de 16 m, fazendo com que a distância entre as margens aumente de 13 para 50 km.

Na altura de Óbidos (PA), o Amazonas apresenta sua menor largura, com 1.800 m, mas ali também se registra a maior profundidade (50 m); sua vazão nesse ponto é de 200 mil metros cúbicos por segundo.

O maior rio do mundo é o Amazonas
Até um dia desses, um monte de gente acreditava que o Rio Nilo, lá do Egito – onde estão as múmias e foram construídas as pirâmides – era o maior de todo o planeta. O Nilo nunca aproveitou esse título sossegado. Isso porque o Rio Amazonas, que nasce no Peru, na cordilheira dos Andes e deságua no Atlântico, depois de passar por todo o norte do Brasil, sempre esteve colado no páreo.

Tão, tão colado que o pódio dessa disputa mudou. É que recentemente, pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) concluíram que o rio brasileiro é o maior de todos, por uma pontinha de aproximadamente 50 quilômetros de diferença. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores usaram imagens de satélite da Nasa, a agência espacial norte-americana.

Crianças e jovens de vários países do mundo sempre aprenderam nos livros de geografia que o Rio Nilo tinha 6.670 km. Pela medição do Inpe, o tamanho dele seria, na verdade, de aproximadamente 6.610 quilômetros.

Pelos dados oficiais, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o rio Amazonas tem 6.570 quilômetros. Já pela pesquisa do Inpe, que está quase acabando, dependendo de quais desvios do rio sejam considerados como leito principal, ele teria 6.627 ou 6.992 quilômetros.

Curiosidade sobre o Rio Amazonas.

Os egípcios navegam nas águas do rio Nilo há muito tempo. Mas até 150 anos atrás ninguém sabia onde ele começava.

A descoberta da nascente do Nilo desafiou os exploradores e aconteceu só em 1858. Foi então que dois viajantes ingleses, chamados Richard Burton e John Hanning Speke, descobriram o lago Tanganica e o lago Vitória, no coração da África, em uma região que os africanos chamavam de “as montanhas da Lua”.

Fonte: portalamazonia.globo.com

Comente