A Teoria de Resposta ao Item (TRI) é um método de cálculo de notas que passou a ser utilizado pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2009. Diferentemente do padrão das avaliações mais tradicionais, em que o número total de acertos corresponde com precisão à média final atingida pelo aluno, a nova abordagem para a contagem da nota individual corrige eventuais desvios com base na dificuldade das questões formuladas para o exame, na maior ou menor habilidade apresentada pelo estudante e demais candidatos, além de desvalorizar o acerto casual (ou “chute”).

Teoria de Resposta ao Item: o que interessa é o item e a coerência, e não o total de acertos

Os mesmos modelos matemáticos da Teoria de Resposta ao Item são empregados com êxito em outros célebres testes ao redor do mundo, desde a década de 1950. Os exemplos mais proeminentes são: o SAT (Scholastic Aptitude Test ou Scholastic Assessment Test, espécie de exame educacional padronizado aplicado aos estudantes do ensino médio norte-americano, que serve de critério para admissão em algumas Universidades dos EUA) e o TOEFL (Test of English as a Foreign Language, teste que avalia a proficiência individual de se falar e entender o inglês em nível acadêmico). Neste método, a princípio o que interessa é o item, como é chamada cada questão do ENEM, e não o total de acertos, assim relacionando as habilidades e a probabilidade concreta de o aluno acertar a resposta.

No caso do ENEM, suas 180 questões atuais são retiradas de um extenso conjunto de questões – o Banco Nacional de Itens. Quando o aluno tem contato com elas, no dia exato da prova, os itens (questões) já foram classificados previamente de acordo com o nível de dificuldade, a partir de um critério estatístico que levou em conta a resolução por vários alunos do Ensino Médio. Portanto, cada item tem uma carga presumida e, dependendo de suas propriedades, terá um diferente peso na pontuação geral do aluno, de acordo com a comparação sistemática com os outros acertos e erros cometidos por ele.

Como calcular a nota do ENEM

No cômputo da pontuação final do candidato, atribui-se valor para cada questão acertada pelo estudante, de maneira equilibrada e balanceada, analisando a coerência do desempenho individual por nível de dificuldade das questões. Ou seja, também no método é importante a consistência da competência do estudante. Por isso, o sistema matemático declina os acertos das questões difíceis para aqueles que não pontuaram nas questões mais fáceis, qualificando que esses acertos tenham sido resultado da sorte (ou seja, de um acerto casual), e não da proficiência do aluno.

Justamente por conta desse cálculo complexo, com tantas variáveis envolvidas e feito com o auxílio de computadores, o estudante não consegue realizar o cálculo de sua nota do ENEM sozinho, em casa. Isso porque o candidato não tem acesso nem mesmo à categorização de dificuldade entre as questões, menos ainda saberá os critérios estatísticos envolvidos na relação entre os erros e acertos que obteve na sua prova.

Então… chuto ou não chuto?

A novidade do método não deve preocupar os alunos tanto assim, principalmente em relação aos eventuais “chutes”. Se o candidato errar uma questão no ENEM, sua nota não será descontada, apesar de haver uma pequena diminuição do peso geral na média da prova – o que é exatamente uma das intenções do emprego da Teoria de Resposta ao Item. O método diminui o peso de eventuais acertos fora do padrão. Afinal, um candidato que não foi bem nas questões fáceis certamente não conseguiria solucionar as questões de nível mais difícil.

Mas, caso o aluno não saiba a resposta para a questão, vale a pena tentar arriscar uma resposta certa a deixar a questão em branco: se ele errar muitas questões, a estimativa fará que sua nota diminua, mas há boas chances de que ele seja bem sucedido, o que terá efeito direto no acréscimo em sua nota final.

O modelo de cálculo da nota do ENEM deve servir como mais uma motivação para que você estude afinco. Esforço e dedicação são essenciais para se sair bem com a metodologia de Teoria de Resposta ao Item. Bons estudos e sucesso na prova!