Tudo sobre o Pronatec

Enem — Escrito por

Pronatec é a sigla para Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, um conjunto de ações públicas que foram criadas em 2011 pelo governo federal. Mas saber apenas isso não deixa transparecer a dimensão que o programa tem. Você conhece o Pronatec? Se você tiver interesse em fazer cursos técnicos e profissionais de nível médio, no momento ou no futuro próximo, confira tudo o que você precisa saber sobre o programa!

Porque o Pronatec pode ser interessante para você

O Pronatec envolve um conjunto de iniciativas que têm como finalidade básica a ampliação da oferta de cursos de educação profissional e tecnológica de nível médio para a população brasileira, e também de cursos de formação inicial e continuada, ou qualificação profissional, para os trabalhadores, tanto nas modalidades presencial quanto a distância. Com isso, o governo investe não apenas na ampliação de vagas para aprender um ofício, mas também nas redes estaduais de educação profissional.

O público beneficiado é enorme, porque engloba estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive da Educação de Jovens e Adultos (EJA); trabalhadores em geral; e aqueles que são favorecidos com os programas existentes de transferência de renda, como o Bolsa Família, por exemplo. Se você atende a um desses requisitos, nossas informações poderão ser muito úteis. Continue lendo e saiba mais!

Como funciona a oferta de cursos do Pronatec

Neste programa recém-lançado, os cursos são gratuitos e estão disponíveis em escolas públicas e nas unidades do Sistema S (Sesi, Senai, Sesc, Senac, Senar e Senat), em várias instituições privadas de ensino superior e de educação profissional técnica de nível médio. Os recursos utilizados para amparar o Pronatec são provenientes do orçamento do Ministério da Educação, do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), do próprio Sistema S e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O projeto é dividido em seis subprogramas:

  • A Bolsa-Formação, que abrange cursos de formação inicial e continuada (com 160 horas-aula ou mais), para os beneficiários do seguro-desemprego e dos programas de inclusão produtiva,além dos cursos técnicos (de maior duração, com pelo menos 800 horas-aula), para estudantes das redes públicas;

  • O FIES Técnico, que é uma ampliação do Programa de Financiamento Estudantil (FIES), agora com empréstimos destinados ao ensino técnico e profissional;

  • O Brasil Profissionalizado;

  • O E-TEC Brasil;

  • A Expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica;

  • A oferta de vagas gratuitas pelo chamado “Sistema S”.

Visto isso, percebe-se que os cursos podem ter duração mínima de um ano, quando destinados para a formação técnica dos estudantes que terminaram o ensino médio ou para aqueles que ainda estão estudando nesta fase. Eles também podem ter a duração mínima de dois meses, para assegurar a formação inicial e continuada ou a qualificação profissional de quem tiver interesse em se inscrever.

Tenho interesse! Como posso me inscrever no Pronatec?

A princípio, qualquer brasileiro que tenha completado o ensino médio pode se inscrever e pleitear a Bolsa-Formação para as vagas gratuitas de cursos técnicos oferecidas pelo programa. Entretanto, se houver concorrência muito grande, o programa prioriza os estudantes que tenham completado o ensino médio na rede pública ou como bolsista integral na rede privada.

Como são seis subprogramas envolvidos, não existe um sistema unificado de inscrições ao qual o aluno poderá recorrer. Na verdade, as vagas são abertas em várias escolas e institutos, além das muitas unidades do Sistema S, e cada uma terá critérios característicos para selecionar os candidatos. Por isso é que aqueles que tiverem interesse em participar do Pronatec devem procurar informações na Secretaria de Educação do seu Estado (ou DF); na rede estadual de educação; nos institutos federais, estaduais ou municipais; ou ainda nas unidades dos serviços nacionais de aprendizagem (Sistema S).

Uma coisa é certa: essa iniciativa federal vai estimular a competitividade na indústria e no comércio, preparando melhor os profissionais do futuro, ampliando a qualidade de vida do trabalhador e abrindo novo horizonte para o desenvolvimento do Brasil. E você, o que está esperando? Não vai aproveitar essa oportunidade?

Caos ainda tenha dúvidas, não se esqueça de compartilhá-las conosco através dos comentários!

Tags: , ,

Comente