Vale a pena fazer Enem? Entenda

Enem — Escrito por

O Enem já pode ser considerado o maior vestibular do País. Nos últimos anos, tem sido usado por um número crescente de instituições de ensino superior, tanto públicas como privadas, para selecionar seus estudantes. As edições mais recentes do Exame atraíram mais de 7 milhões de pessoas por ano – muitas delas na esperança de conquistar uma vaga na faculdade.

Fazendo o Enem, você pode participar de vários processos seletivos do Governo Federal que promovem o acesso a universidades nas cinco regiões do País. Também pode entrar direto em inúmeras faculdades particulares sem ter que prestar um novo vestibular e até receber o certificado de conclusão do ensino médio, dentre outras facilidades.

Descubra em detalhes se vale mesmo a pena fazer o Enem e conheça todos os processos que usam a nota do Exame para garantir a sua tão desejada vaga em um curso superior!

Como posso usar o Enem?

Se você está pensando em fazer uma faculdade, fazer o Enem vale muito a pena!

A nota obtida no Exame permite que o candidato participe de diversos processos seletivos que dão acesso ao ensino superior. Se seu desempenho for realmente bom, o Governo pode, inclusive, bancar a mensalidade de uma faculdade privada para você!

Conheça os três principais processos seletivos do Governo Federal que usam a nota do Enem para classificar futuros universitários:

  • Sistema de Seleção Unificada (Sisu) – O Sisu é o maior e o mais procurado entre os três programas do Governo Federal de acesso ao ensino superior. Nele são distribuídas vagas em universidades públicas de todo o País, inclusive para aqueles cursos mais procurados, como Medicina, Direito e Engenharia. O Sisu usa como critério de escolha a nota do Enem e é aberto a todos os que fizeram a edição mais recente do Exame e tiraram nota maior que zero na redação. O processo seletivo é totalmente informatizado, gratuito, e o estudante pode escolher a faculdade, o curso, o turno e a modalidade (cotas ou ampla concorrência) entre as centenas de milhares de opções disponíveis. Como a disputa costuma ser bem acirrada, quanto maior a nota, maiores as chances de entrar no curso desejado.
  • Programa Universidade para Todos (ProUni) – O ProUni é um sistema de bolsas integrais ou parciais (que cobrem metade da mensalidade) concedidas a estudantes de baixa renda que normalmente não poderiam bancar os custos de uma faculdade particular. Com um bom desempenho no Enem, é possível obter o benefício até para cursos caros, como Medicina, Odontologia e Engenharia. Para participar, é preciso ter feito a edição mais recente do Enem e ter conseguido no mínimo de 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação (em cursos mais concorridos, a nota para passar pode superar os 800 pontos). Também é preciso comprovar renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa. Aqui também a nota é fundamental: quanto mais alta, maiores as chances!
  • Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) – Com o FIES, o estudante pode pegar um empréstimo do Governo Federal para fazer uma faculdade. Um ano e meio depois da formatura, ele começa a pagar as parcelas da dívida. Os juros são baixos e o prazo para quitar o financiamento é longo. Para participar, também é preciso ter 450 pontos nas provas objetivas e nota acima de zero na redação. A renda familiar bruta deve ser de até 2,5 salários mínimos por pessoa. O FIES tem uma pequena diferença em relação aos demais processos seletivos: o estudante pode ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010.

 

Como usar o Enem em outras situações?

Conheça alguns programas e iniciativas interessantes que também usam a nota do Exame para promover acesso a cursos diversos:

  • Ingresso direto – Inúmeras faculdades privadas passaram a usar a nota do Exame como forma de permitir o ingresso de novos alunos sem necessidade de fazer um novo vestibular. É muito mais rápido e fácil! Cada universidade define como usará a nota do Enem. Algumas exigem uma nota mínima na média geral, enquanto outras dão pesos diferentes a cada uma das provas. O ideal é consultar a instituição onde você quer estudar para saber todos os detalhes.
  • Complemento à nota do vestibular – Também dá para usar sua nota no Enem no vestibular tradicional e ganhar uma vantagem a mais na competição. Algumas universidades que ainda não aderiram ao Sisu costumam somar a nota no Exame à do concurso. Se você tiver uma boa pontuação, pode sair na frente nessa corrida. Consulte o edital da instituição desejada para saber como é feito o cálculo, já que o modelo muda de uma para outra.
  • Vaga em curso técnico – O Enem também é usado para que estudantes consigam vagas em cursos técnicos profissionalizantes gratuitos de nível médio. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) forma mão-de-obra para atuar em diversos segmentos do mercado de trabalho. Estudantes com melhores notas têm mais chances.
  • Bolsas de estudo ou desconto nas mensalidades – algumas faculdades privadas dão descontos nas mensalidades ou mesmo bolsas de estudo parciais a candidatos que tenham boa nota no Enem. Informe-se no site da instituição onde deseja estudar se essas opções estão disponíveis.

 

Enfim, vale a pena fazer Enem?

Hoje em dia é bastante complicado evoluir no mercado de trabalho sem um curso superior. Uma boa formação universitária certamente abrirá muitas portas em diversos setores da economia, além de garantir um salário melhor.

Por isso, pode se dedicar aos estudos a partir de agora: vale a pena fazer o Enem, sim!

Universidades que aceitam o Enem

Conheça algumas instituições públicas e privadas que participam dos programas de seleção do Governo Federal e/ou aceitam a nota do Enem:

Instituições privadas que aceitam ProUni, FIES ou ingresso direto:

 

Faculdades públicas que aceitam o Sisu:

 

Veja também:

Como usar a nota do Enem para entrar numa faculdade pública

 

Para você, vale ou não vale a pena fazer o Enem? Explique para a gente nos comentários!

 

Comente