Nenhum outro exame no Brasil oferece tantas possibilidades quanto o Enem.

Com ele, dá para tentar vaga em universidade pública, disputar bolsas de estudos, financiar um curso superior a juros baixos ou mesmo entrar direto em uma boa faculdade da rede privada sem precisar prestar vestibular.

Só que todas essas possibilidades não ficam à disposição o tempo todo. É preciso saber exatamente quando usar o Enem para aproveitar de verdade todas as possibilidades.

A gente foi investigar qual a validade do Enem para usar sua nota nos principais processos seletivos.

O resultado você vê a seguir.

Descubra quando o Enem tem validade de um ano

Alguns processos seletivos são bem taxativos: só aceitam o Enem mais recente.

É o caso do Sisu e do ProUni, por exemplo.

Em seus respectivos editais, está claro que só pode participar o candidato que fez o Enem do ano imediatamente anterior – mas esse termo às vezes dá um nó na cabeça do participante: como assim, do “ano imediatamente anterior”?

É simples de entender: como o Enem é realizado em novembro e os processos seletivos só abrem a partir de janeiro do ano seguinte, a prova mais recente é a que foi feita em novembro, alguns meses antes – o tal “imediatamente anterior”. Entendeu?

O mesmo vale para a segunda edição desses processos seletivos, que ocorre no segundo semestre.

Por isso, quem participar do Sisu em 2019, seja na primeira ou na segunda edição, deve ter feito, obrigatoriamente, o Enem em 2018. Quem tentar vaga em 2020 precisa ter participado da edição de 2019, e assim por diante.

Entenda melhor os processos seletivos que só aceitam as notas do Enem mais recente:

Sisu

É o processo seletivo mais aguardado do ano, porque define quem irá conseguir entrar em uma das centenas de universidades públicas participantes do programa. Por ano, são quase 300 mil vagas distribuídas em duas edições – no primeiro e no segundo semestre.

Para entrar na corrida, o candidato precisa ter feito, obrigatoriamente, o Enem mais recente e não ter zerado a redação. Qualquer pontuação obtida habilita a participação.

O Sisu é bastante concorrido e ganham vaga aqueles candidatos com as maiores notas. Há cursos em todas as áreas do conhecimento, incluindo Medicina, Direito e engenharias.

No Sisu só pode usar o Enem mais recente mesmo. Edições anteriores a isso não são aceitas de jeito nenhum.

ProUni

O ProUni é o programa que distribui bolsas de estudos em faculdades privadas de qualidade em todo o país.

É um benefício bastante procurado por estudantes que não conseguiram vaga no Sisu ou que querem fazer cursos que só existem em faculdade particular.

Aqui também só pode ser usado o Enem mais recente. Além disso, o programa tem outras exigências:

  • A pontuação mínima para participar da seleção deve ser de 450 na média das provas, sem ter zerado a redação.
  • Só pode tentar bolsa quem fez todo o ensino médio em escola da rede pública – ou quem estudou em escola particular na condição de bolsista integral durante todo o tempo.
  • É preciso ter renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos.
  • Não pode ter diploma de nível superior.

A seleção é similar à do Sisu, com vagas sendo distribuídas aos candidatos que obtiveram as maiores notas. O número de bolsas se aproxima de 300 mil por ano – entre parciais (que pagam 50% do valor da mensalidade) e integrais (que são maioria).

O ProUni também acontece duas vezes por ano, no início de cada semestre letivo.

A única exceção ao Enem mais recente pode ocorrer na distribuição das vagas remanescentes do ProUni, aquelas que sobraram depois da seleção principal. Em alguns casos, o MEC pode convocar candidatos que fizeram qualquer Enem a partir de 2010 para participar.

Veja quando o Enem vale por vários e vários anos

A boa notícia é que há outros processos seletivos que aceitam a nota de várias edições do Enem.

Conheça:

FIES

O fundo que financia cursos superiores a juros baixos e ainda oferece um prazo longo e facilitado de pagamento aceita qualquer edição do Enem a partir de 2010.

Por que 2010, especificamente? Porque foi o ano em que o Enem assumiu o formato que tem hoje.

O financiamento é concedido mediante processo seletivo, que funciona de forma similar ao do ProUni e FIES: leva quem tiver a maior nota nas provas.

Para participar, além da nota do Enem, o candidato também precisa apresentar renda familiar mensal bruta de até cinco salários mínimos por pessoa.

As seleções acontecem no começo e no meio do ano.

Ingresso Direto

O ingresso direto é um sistema simplificado de acesso ao ensino superior adotado por faculdades particulares de todo o país.

Para participar, o candidato precisa ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010.

A seleção é bastante simples: basta acessar o site da faculdade no período de seleção, escolher a modalidade de ingresso com a nota do Enem, informar a pontuação obtida em cada uma das provas e torcer.

Caso corresponda (ou supere) ao mínimo exigido para aquele curso, o candidato automaticamente garante o direito à vaga. Depois, é só levar a documentação e os comprovantes necessários para formalizar a matrícula e começar a estudar.

Além de toda essa facilidade, o ingresso direto normalmente é um processo gratuito. Não é preciso fazer qualquer outra prova para entrar.

Faculdades que aceitam o Enem

O Sisu é aceito em mais de 100 universidades públicas, de Norte a Sul do Brasil.

O ProUni, o FIES e o ingresso direto, por outro lado, estão disponíveis em um número muito maior de instituições.

Escolher a melhor faculdade é simples: basta certificar-se de que a instituição é reconhecida e bem avaliada pelo MEC.

Se você quer algumas sugestões para começar sua pesquisa, a gente traz algumas bem interessantes. Confira aí:

Veja também:

Precisando de bolsa de estudo para faculdade? Veja opções

E aí, vai usar a nota do Enem mais recente ou de edições anteriores? Conte para a gente!